Mais de 200 portugueses assinalam 50 anos do Centro Marítimo da Venezuela

Situado em Turumo, o Centro Marítimo da Venezuela chegou a ser uma referência na promoção da cultura e das festividades religiosas portuguesas.

Mais de duas centenas de portugueses assinalaram, no domingo, os 50 anos do Centro Marítimo da Venezuela, clube que nos últimos anos tem sentido os efeitos da saída dos associados, mas que quer continuar a ser uma referência cultural local.

"Fizemos 50 anos no dia 19 de abril e hoje é o culminar das festividades (...) o clube foi fundado em 1972 como Associação Desportiva Luso-venezuelana e teve um papel muito importante na área do desporto. Depois passou a chamar-se Centro Luso de Caracas e mais tarde Centro Marítimo da Venezuela (CMV)", disse o presidente do clube à Lusa.

Fernando Costa indicou que, depois da mudança do nome, o CMV passou a guardar nas instalações "taças e troféus" do extinto Clube Sport Marítimo da Venezuela, uma equipa fundada em 1959 por portugueses, que jogava na 1.ª divisão venezuelana e que se dissolveu em 1995.

Situado em Turumo, a 20 quilómetros a leste de Caracas, o CMV, que no passado chegou a ser uma referência na promoção da cultura e das festividades religiosas portuguesas, por onde passaram importantes políticos e artistas portugueses, tem visto emigrar uma parte importante dos associados, devido à crise política, económica e social no país.

"Temos aproximadamente uns 600 associados (...) éramos um clube que há muitos anos tinha muitos [milhares de] sócios, mas, devido aos problemas do país, muitos portugueses e lusodescendentes emigraram para Portugal e para outros países", explicou.

Fernando Costa acrescentou que a maioria dos membros da direção também deixou a Venezuela, o que tem obrigado a esforços adicionais para manter as tradições portuguesas.

"Faz falta mais participação de jovens", disse, mostrando-se otimista que a participação aumente com a flexibilização local da quarentena preventiva da Covid-19.

"Personalidades portuguesas importantes têm visitado o clube e às vezes até prometem ajuda [económica] de Portugal", salientou, mas "até agora" nada se concretizou.

As festividades dos 50 anos do CMV, com festivais organizados pelo Grupo Folclórico Duas Pátrias, começaram em 19 de abril com competições de futsal, torneios de dominó e de cartas, entre outras.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de