Mais de um milhão de pessoas deslocadas na Índia devido ao ciclone Yaas

As fortes chuvas associadas a este ciclone já fizeram dois mortos devido ao corte de linhas de eletricidade, que eletrocutaram duas pessoas.

Cerca de 1,1 milhão de pessoas tiveram de abandonar as suas casas na costa leste da Índia, devido à chegada do ciclone Yaas, prevista para a tarde desta quarta-feira.

A chegada do Yaas, considerado uma "tempestade ciclónica muito severa", acontece pouco mais de uma semana depois de o ciclone Tauktae ter causado pelo menos 145 mortos no oeste da Índia, em grande parte devido ao naufrágio de dois barcos.

De acordo com a agência de notícias Associated Press (AP), as fortes chuvas associadas ao ciclone Yaas já fizeram dois mortos e causaram danos em casas, nos estados indianos de Odisha e de Bengala Ocidental.

O ciclone, que deverá tocar terra ao meio-dia (17h30 em Lisboa), cortou linhas de eletricidade que eletrocutaram duas pessoas e danificaram 40 casas em Bengala Ocidental, disse o ministro-chefe do estado na terça-feira, citado pela AP.

Os Serviços Meteorológicos Indianos anunciaram que os ventos deverão rondar os 130 a 155 quilómetros por hora.

Como medida de segurança, o aeroporto de Calcutá foi encerrado e a circulação ferroviária foi interrompida.

O plano de evacuação devido ao ciclone acontece numa altura em que a Índia está a braços com uma devastadora segunda vaga de pandemia de covid-19, com 3.511 mortes nas últimas 24 horas, elevando o número total de óbitos para mais de 300 mil.

O ministro-chefe do estado de Odisha, Naveen Patnaik, apelou às pessoas que estão a ser deslocadas para abrigos anticiclone para usarem máscara e manterem a distância social, para prevenir o contágio. "Temos de enfrentar os dois desafios em simultâneo", disse, citado pela AP.

Na segunda-feira, as autoridades indianas emitiram alertas para os estados de Odisha e Bengala, devido às fortes chuvas e inundações nas zonas costeiras, e advertiram os pescadores para não entrarem nas águas da baía de Bengala nos próximos dias.

A baía de Bengala é frequentemente atingida por ciclones, normalmente entre abril e maio e outubro e novembro, embora as novas tecnologias de prevenção tenham ajudado a Índia e o Bangladesh a diminuir drasticamente o número de vítimas desses desastres.

Em maio de 2020, o ciclone Amphan provocou mais de 100 mortes na região, num dos piores incidentes deste tipo.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de