Mais um jornalista assassinado no México. Pelo menos 142 mortos no país desde 2020

Pelo menos 47 jornalistas foram assassinados só durante o Governo de López Obrador.

O jornalista mexicano Freddy López Arévalo foi morto a tiro na quinta-feira à porta da sua casa no estado sudeste de Chiapas, informaram as autoridades locais.

De acordo com a organização não-governamental Artigo 19, um total de 142 jornalistas foram assassinados desde 2000, possivelmente devido ao seu trabalho.

Segundo as autoridades, pelo menos 47 jornalistas foram assassinados só durante o Governo de López Obrador.

O editor da revista Jovel foi atacado no município de San Cristóbal de Las Casas, onde existe uma elevada incidência de crime.

López Arévalo, originário do município de Yajalón, foi editor e colunista. O jornalista chegava a casa com a sua família no bairro Las Rosas, na cidade de Tuxtla Gutiérrez (Chiapas), após uma celebração familiar, quando foi baleado, informou a polícia municipal num comunicado.

López Arévalo foi correspondente do El Universal na Guatemala nos anos 1990, trabalhou para a revista Panorama que circulou na América Central, responsável pelo escritório Notimex em Chiapas, chefe de redação do diário Novedades e também publicou alguns textos na revista Proceso.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de