Megaoperação para salvar centenas de baleias encalhadas na Tasmânia

Está a decorrer uma das maiores operações de sempre para tentar salvar um grupo de baleias preso num banco de areia.

Dezenas de peritos e voluntários, com apoio de barcos e helicópteros, estão envolvidos numa corrida contra o tempo para tentar salvar centenas de baleias piloto encalhadas numa baía da Tasmânia.

Quase 200 baleias ficaram presas em bancos de areia nas margens da área florestal protegida e remota de Macquarie Heads e apenas "um pequeno grupo" já foi libertado, enquanto pelo menos 90 animais já morreram.

Nic Deka, responsável pelo Serviço de Parques e Vida Selvagem da Tasmânia, disse à AFP News que esta situação é frequente neste local - uma "conhecida armadilha para baleias", mas destaca que este é o maior grupo de baleias a ficar encalhado na última década.

Não é claro o que levou um grupo tão grande a dirigir-se para águas rasas, mas as baleias piloto são animais sociais, pelo que se um deles cometer o erro de se aproximar demasiado da costa, para se alimentar ou desorientado devido a uma doença, por exemplo, é seguido por outros. Outra possibilidade é chegarem à costa atraídas pelos sonares de grandes navios.

A investigadora marinha Vanessa Pirotta explica que mover as baleias vai ser difícil: "Estamos a falar de um animal do tamanho de um carro, com cinco metros de comprimento e várias toneladas de peso."

A maré alta pode ajudar no resgate, mas só deve chegar daqui a dois dias, já que esta baía tem marés pouco comuns, ditadas pela pressão atmosférica.

Desde que estejam parcialmente submersas, as baleias piloto - mais resilientes do que outras espécies - podem sobreviver durante vários dias. Além disso, a chuva também está a ajudar a manter os animais molhados e frescos.

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de