Membros de ONG desaparecidos após descoberta de corpos carbonizados

Os cadáveres de cerca de 30 pessoas foram encontrados em dois camiões e um carro incendiados num ataque atribuído à Junta Militar.

A organização internacional Salvem as Crianças (Save The Children) anunciou este sábado que dois dos seus funcionários em Myanmar estão desaparecidos, após os restos mortais carbonizados de mais de 30 pessoas terem sido encontrados em veículos incendiados no leste do país.

"Temos a confirmação de que a sua viatura particular foi atacada e incendiada", num ataque - na sexta-feira, no estado de Kayah, no leste do país - atribuído à Junta Militar, disse a organização de defesa dos direitos das crianças, num comunicado.

Cadáveres de cerca de 30 pessoas, incluindo mulheres e crianças, foram encontrados hoje em veículos carbonizados em Myanmar, de acordo com um oficial rebelde e uma ONG, que acusam a Junta Militar pelas mortes.

As imagens dos corpos surgiram nas redes sociais, revelando dois camiões e um carro incendiados numa estrada em Hpruso, no leste de Myanmar, contendo os corpos sem vida de cerca de 30 pessoas.

A organização Salvem as Crianças teme que os dois funcionários estejam entre as vítimas mortais do ataque atribuído à Junta Militar de Myanmar, sabendo-se que estavam de regresso de uma missão humanitária na região, na zona onde foram encontradas as viaturas incendiadas.

O porta-voz da Junta Militar, Zaw Min Tun, disse que vários confrontos eclodiram em Hpruso, na sexta-feira, quando os soldados imobilizaram sete viaturas que se movimentavam de "forma suspeita", levando à morte de várias pessoas.

Myanmar mergulhou no caos desde o golpe de 1 de fevereiro, após um golpe de Estado que levou ao poder uma Junta Militar que pôs fim à transição democrática, que durava há uma década.

Nos últimos 10 meses, mais de 1.300 civis foram mortos em confrontos, segundo várias organizações, que relatam casos de tortura e execuções extrajudiciais.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de