Menino de três anos sobrevive três dias sozinho no deserto australiano

A mãe da criança refere que apesar de alguns arranhões e hematomas, Anthony "AJ" Elfalak "está seguro, bem e saudável".

Depois de três dias de buscas, Anthony "AJ" Elfalak, um menino de três anos com autismo, foi encontrado com vida num deserto no interior da Austrália. A criança foi dada como desaparecida na manhã de sexta-feira, na propriedade remota da família no estado de Nova Gales do Sul, a 150 quilómetros a noroeste de Sydney.

Utilizando um helicóptero equipado com câmaras de imagens térmicas, as equipas de resgate e a polícia, incluindo uma unidade a cavalo, fizeram as buscas durante o fim de semana e, na segunda-feira, conseguiram encontrar a criança. A mãe do menino afirmou que se sente "abençoada" com o regresso do filho a casa.

"Ele está connosco. Está seguro, bem e saudável. Isso é tudo o que importa", disse a mãe Kelly Elfalak à imprensa esta terça-feira, na casa da família, na localidade de Putty, em declarações citadas pela AFP.

De acordo com a mãe, Anthony apresentava alguns arranhões e hematomas. A polícia explicou que a densidade do terreno complicou as buscas pelo menino, que foi encontrado a algumas centenas de metros de casa.

"O menino estava sentado num pequeno riacho e bebia água. Ele conseguiu chamar a atenção do piloto e do tripulante", disse o superintendente da polícia de Nova Gales do Sul, Brad Monk, em declarações também citadas pela AFP.

Imagens realizadas através do helicóptero da polícia mostram o menino sentado num riacho, a utilizar as mãos para levar água à boca. As buscas pela criança, que segundo a polícia tem autismo e não fala, marcaram as notícias na Austrália nos últimos dias.

"Que alívio, não consigo imaginar como esta experiência foi traumática para AJ e seus pais", afirmou o primeiro-ministro australiano, Scott Morrison, numa publicação na rede social Twitter.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de