Milhares de bielorrussos voltaram a sair à rua

Svetlana Tikka Novskaia admitiu esta semana que não tem ideia de quantas pessoas poderiam aderir à greve.​​​​​​

Milhares de bielorrussos voltaram a sair à rua este domingo naquele que é o dia em que termina o ultimato feito a Lukashenko. Svetlana Tikka Novskaia, que foi adversária do líder do país nas presidenciais, tinha-lhe dado duas semanas para abandonar o poder, acabar com a violência policial e libertar todos os presos políticos.

Se essas exigências não fossem cumpridas - como não foram -, o país entraria em greve geral por tempo indeterminado. Tikka Novskaia admitiu esta semana, no entanto, que não tinha ideia de quantas pessoas poderiam aderir à greve porque há muitas a serem intimidadas pelo governo e outras que perderam os altos cargos que tinham em empresas estatais.

Este domingo, as forças de segurança tudo fizeram para evitar mais uma manifestação no centro de Minsk. Diversas estações de metro foram fechadas e as ligações móveis restringidas, para evitar que as pessoas se organizassem.

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de