Ministro britânico da Saúde demite-se após quebrar regras de distanciamento

Matt Hancock desrespeitou as regras do distanciamento social ao envolver-se com uma funcionária ministerial.

O ministro da Saúde do Reino Unido, Matt Hancock, demitiu-se este sábado através de uma carta endereçada ao primeiro-ministro britânico, Boris Johnson. A demissão surge depois de o governante ter admitido que quebrou as regras do distanciamento social ao envolver-se com uma funcionária do seu ministério.

Na carta ao primeiro-ministro, Hancock diz que o Governo "deve honestidade às pessoas, que tanto sacrificaram nesta pandemia, quando as desiludimos, como eu desiludi ao desrespeitar as regras". Johnson já lamentou o pedido de demissão de Hancock, acrescentando que o ministro demissionário deve sentir-se "imensamente orgulhoso" pelo serviço que prestou.

Inicialmente, o primeiro-ministro tinha apoiado o seu colega de Governo, já depois de este ter admitido a quebra das regras de distanciamento social, numa altura em que Hancock instava o público a cumprir as medidas decretadas.

A oposição acusou então o governo de "hipocrisia", já que a violação das regras do confinamento levou a que muitos britânicos fossem multados.

Hancock admitiu ter desiludido o povo britânico depois de o jornal "The Sun" ter publicado imagens de uma câmara de segurança, obtidas por um suposto denunciante, que demonstravam o caso extraconjugal vivido por Hancock e a sua assistente, no gabinete do ministro, a 6 de maio.

O partido trabalhista apontou também a necessidade de o governo fornecer respostas sobre a nomeação desta assistente, Gina Coladangelo, colega de faculdade do ministro, para a principal equipa consultiva do ministro.

Na semana passada, Hancock rejeitou as críticas sobre a sua forma de lidar com a pandemia de Covid-19, depois de terem surgido os trocas de mensagens privadas, via WhatsApp, nas quais Boris Johnson dizia não haver esperança para o então ministro.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de