Ministro checo da Saúde demite-se sob críticas à gestão da pandemia

Analistas referem que o ministro demissionário não seguiu as recomendações dos especialistas ao recusar apertar as medidas de combate durante o verão.

O ministro da Saúde da República Checa, Adam Vojtech, demitiu-se esta segunda-feira depois de inúmeras críticas, de políticos e peritos, à sua gestão da segunda onda da pandemia de covid-19,.

"Saio para abrir espaço à adoção de medidas para lutar contra a Covid-19", disse Vojtech em conferência de imprensa, hoje, citado pela agencia espanhola EFE.

A República Checa regista uma média de 193 casos ativos por cada 100 mil habitantes nos últimos 14 dias, sendo que na comparação com os restantes países europeus apenas fica atrás de Espanha, com 300,5 casos por cada 100 mil habitantes.

Os analistas checos referem que Vojtech não seguiu as recomendações dos especialistas que aconselharam endurecer a política contra o novo coronavírus a meio do verão, para conter a expansão dos contágios no outono.

A falta de medidas gerou uma onda de contágios comunitários e, em reação, foram reintroduzidas uma série de limitações que muitos cidadãos agora não entendem e consideram um capricho.

Nas últimas 24 horas foram detetados 985 novos casos de contágio na República Checa, uma baixa depois de seis dias de crescimento contínuo dos números diários de novos casos, que colocaram o número total de casos ativos em 24.032, com 503 pessoas internadas em hospitais, o mesmo número das vítimas mortais.

A demissão de Vojtech foi bem recebida na Câmara de Médicos checa, cujo presidente, Milan Kubek, foi muito crítico da gestão feita pelo até agora ministro, que levou também ao contágio de 59 profissionais de saúde.

"A sua autoridade entre os especialistas era zero", disse Kubek sobre a gestão de Vojtech, que "carece de autoridade por não ser médico", disse o responsável, que também acusou o ministro demissionário de não ter querido colaborar com a Câmara dos Médicos.

"O novo ministro deve preparar os centros hospitalares para o choque que nos espera", acrescentou Kubek.

Para esta noite está prevista uma declaração do primeiro-ministro, Andrej Babis, da qual se espera o anúncio do substituto do ministro demissionário, não se descartando que possam ser anunciadas novas medidas restritivas de combate à pandemia.

A pandemia de covid-19 já provocou mais de 961 mil mortos no mundo desde dezembro do ano passado, incluindo 1.920 em Portugal.

LEIA AQUI TUDO SOBRE O NOVO CORONAVÍRUS

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de