Ministros dos Negócios Estrangeiros da UE em reunião extraordinária em Nova Iorque

Diplomatas dos 27 vão abordar o discurso de Vladimir Putin, que esta manhã anunciou a mobilização parcial de 300 mil reservistas.

Os ministros dos Negócios Estrangeiros da União Europeia (UE) vão reunir-se de forma extraordinária em Nova Iorque para abordar os últimos acontecimentos em torno da guerra da Ucrânia, disse fonte diplomática à agência noticiosa Efe.

Os chefes da diplomacia dos 27 Estados-membros, que se encontram na cidade norte-americana no âmbito da Assembleia-Geral da ONU, já mantiveram um encontro informal na passada segunda-feira e voltarão a encontrar-se hoje pelas 20h15 locais (01h15 de quinta-feira em Lisboa).

A reunião vai decorrer após o Presidente russo, Vladimir Putin, ter anunciado hoje a mobilização parcial de 300 mil reservistas e recordado a importância do arsenal nuclear do seu país como argumento face à contraofensiva ucraniana.

Em mensagem no Twitter, o chefe da diplomacia europeia, Josep Borrell, advertiu que a paz mundial "está em perigo" pela "grave escalada" que implicam as últimas decisões do Kremlin.

"O anúncio de Putin sobre os referendos falsos [nos territórios separatistas russófonos ou ocupados pelas forças militares russas], a mobilização militar parcial e a chantagem nuclear são uma grave escalada", considerou Borrell.

Vários países europeus interpretaram estes últimos anúncios como um sinal de debilidade por parte da Rússia, na sequência da contraofensiva desencadeada pelo exército ucraniano e que permitiu recuperar alguns territórios ocupados.

O chanceler alemão Olaf Scholz qualificou a convocatória de referendos em território ocupado e a mobilização de reservistas como um "ato de desespero", enquanto o Presidente francês, Emmanuel Macron, lamentou "profundamente" estas medidas e pediu a todos os países do mundo que exerçam a "máxima pressão" sobre Putin.

ACOMPANHE AQUI TUDO SOBRE A GUERRA NA UCRÂNIA

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de