"Morreram" nos fiordes, mas acabaram por acordar. BBC juntou-os nove anos depois

Não é inédito, mas nunca tinha acontecido simultaneamente com tantas pessoas.

Há nove anos um grupo de crianças dinamarquesas teve um acidente no mar durante uma visita de estudo. Sete dessas crianças foram declaradas clinicamente mortas por hipotermia, mas as sete voltaram à vida algumas horas depois.

É uma história contada pela BBC esta terça-feira, que juntou de novo os sete antigos colegas de escola para lembrarem como morreram e ressuscitaram.

Não é inédito, mas nunca tinha acontecido simultaneamente com tantas pessoas. A temperatura da água era de dois graus centígrados e a costa ficava longe.

"Fiquei debaixo do barco. Quando vim à tona começou o pesadelo. Todos estavam a gritar, nada parecia real. Estavam todos em pânico. A professora disse que tínhamos de nadar, senão morríamos", contou uma das raparigas.

Uma delas conseguiu nadar até terra e pedir ajuda. As sete crianças foram transportadas de helicóptero, em estado de hipotermia. Os sete corações estiveram parados cerca de duas horas.

Aos poucos, o corpo e o sangue das crianças foi aquecido ao ritmo de um um grau por hora. Por volta dos 26 graus, o ritmo cardíaco voltou.

A partir daí a grande preocupação foi o cérebro, mas todos voltaram à vida praticamente ilesos e são ainda hoje considerados o maior grupo de ressuscitados de que há registo. Já jovens adultos, a BBC juntou-os para um mergulho nesse passado em que estiveram mortos por algumas horas. Com ou sem aspas. Ainda não se percebe bem.

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de

Outros Artigos Recomendados