Morreu Bill Gates sénior, o homem que transformou o filho bilionário num filantropo

Promover a saúde e educação: o pai de Bill Gates definiu o rumo das causas que o cofundador da Microsoft, atualmente um dos maiores filantropos do mundo, ainda apoia hoje em dia.

Morreu aos 94 anos William Henry Gates, mais conhecido por Bill Gates sénior, pai do cofundador da Microsoft que lhe herdou o nome, vítima de Alzheimer. O advogado norte-americano morreu esta segunda-feira na sua casa de praia, em Seattle, revelou esta quarta-feira a família.

Foi Bill Gates sénior que incentivou o filho a tornar-se filantropo, quando numa tarde de outono em 1994 este lhe disse, enquanto esperavam na fila para o cinema, que estava a ser inundado com apelos para financiar causas solidárias, mas estava demasiado ocupado a gerir a Microsoft para sequer responder.

O advogado, então com 69 anos e a trabalhar na sua prestigiada firma, mas pronto para se reformar, ofereceu-se para tratar de toda a papelada e enviar alguns cheques. O filho aceitou, conta o New York Times.

Dias depois, William Henry Gates encarregou-se de abrir dezenas de caixas de cartão cheias de cartas escritas por pessoas que precisavam de ajuda. O pai escolhia as causas que apoiar e tratava de toda a logística, enquanto o filho destinou 100 milhões de dólares para abrir a fundação William H. Gates, precursora da atual Fundação Bill e Melinda Gates.

Foi Bill Gates sénior quem assinou, na mesa da sua cozinha, o primeiro cheque doado pelo fundador da Microsoft: 80 mil dólares para um programa de combate ao cancro.

A fundação William H. Gates foi gerida dia-a-dia pelo patriarca da família Gates durante os 13 anos seguintes, canalizando o dinheiro doado por Bill Gates júnior para melhorar a saúde e a educação nos estados unidos e nos países do terceiro mundo.

"Considero Bill Gates sénior a consciência da família Gates", descreve Pablo Eisenberg, colunista no The Chronicle of Philanthropy. Graças a ele, milhares de dólares financiaram campanhas para erradicar a pólio, reduzir a mortalidade infantil, construir escolas e financiar uma vacina contra a SIDA, entre muitas outras causas.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de