Moscovo diz mobilizar onze mil militares para o desfile de 9 de maio

Durante os últimos ensaios para o desfile foram visíveis na província de Moscovo oito caças MiG-29.

Cerca de 11 mil militares russos desfilarão na Praça Vermelha em Moscovo no Dia da Vitória da Rússia sobre a Alemanha nazi em 1945, que se assinala a 09 de maio, indicou esta segunda-feira o Ministério da Defesa.

"Um total de onze mil militares, 131 unidades de armas modernas e equipamentos militares, 77 aviões e helicópteros participam nos preparativos do desfile da Praça Vermelha", informou o ministério russo, citado pela agência RIA Novosti.

Durante os últimos ensaios para o desfile foram visíveis na província de Moscovo oito caças MiG-29, sobrevoando os céus e formando a letra "Z", que se converteu no símbolo da "operação militar especial" da Rússia na Ucrânia.

A invasão militar da Rússia, iniciada a 24 de fevereiro, é denominada oficialmente pelo Kremlin como "operação militar especial" e as manifestações contra a guerra são proibidas.

O Kremlin já tinha informado que o tradicional desfile na Praça Vermelha vai decorrer sem "adiamentos". Em 2020, por causa da pandemia de Covid-19, a parada foi agendada para finais do mês de junho.

"Vamos celebrar (a data) como o fazemos sempre. É a nossa celebração mais sagrada. No nosso país foi e vai continuar a ser uma 'festa sagrada' para todos os russos", disse o porta-voz da Presidência russa, Dmitri Peskov.

De acordo com analistas, a Rússia vai tentar incrementar nos próximos dias a ofensiva no Donbass, leste da Ucrânia, para proclamar no dia 09 de maio a vitória no campo de batalha.

A ofensiva militar da Rússia na Ucrânia já matou quase dois mil civis, segundo dados da ONU, que alerta para a probabilidade de o número real ser muito maior.

A guerra causou a fuga de mais de 11 milhões de pessoas, mais de cinco milhões das quais para os países vizinhos. A invasão russa foi condenada pela generalidade da comunidade internacional, que respondeu com o envio de armamento para a Ucrânia e o reforço de sanções económicas e políticas a Moscovo.

ACOMPANHE AQUI TUDO SOBRE A GUERRA NA UCRÂNIA

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de