Moscovo diz que dois helicópteros ucranianos invadiram espaço aéreo e atacaram depósito de petróleo

Kiev nega o envolvimento no incidente que provocou um enorme incêndio.

O Ministério da Defesa da Rússia disse hoje que o ataque a um depósito de combustível foi realizado por dois helicópteros ucranianos Mi-24, que invadiram o espaço aéreo russo em baixa altitude, acusação negada pelo governo da Ucrânia.

"Em 01 de abril, por volta das 05:00 em Moscovo [07:00 em Lisboa], dois helicópteros ucranianos Mi-24 penetraram no território russo em baixa altitude", referiu o porta-voz militar Igor Konashenkov no seu relatório diário sobre a "operação militar especial russa" na Ucrânia.

Os mísseis disparados pelos Mi-24 atingiram uma base de armazenamento de produtos petrolíferos para abastecimento de transporte civil, localizada nos arredores de Belgorod, próximo da fronteira russo-ucraniana, causando um grande incêndio.

Belgorod está localizada a cerca de 30 quilómetros da fronteira com a Ucrânia e a cerca de 70 quilómetros de Kharkiv, a cidade mais importante do leste da Ucrânia, que está cercada pelos russos.

"O armazém não tem nenhuma ligação com as Forças Armadas russas. Como resultado do ataque, alguns armazéns foram danificados e incendiaram-se", atirou ainda o governo russo.

Em reação ao alegado ataque ucraniano em território russo, o Kremlin declarou hoje que o incidente pesaria nas negociações para encerrar a ofensiva russa na Ucrânia.

"Está claro que não podemos considerar isso como algo que criará as condições adequadas para a continuação das negociações", disse Dmitri Peskov, porta-voz da Presidência russa, durante a sua conferência de imprensa diária.

O ataque - o primeiro deste tipo, se for confirmado que foi mesmo realizado pela Força Aérea ucraniana - ocorre quando a Rússia afirma repetidamente ter o controlo total do espaço aéreo na Ucrânia.

Mas o Ministério da Defesa ucraniano negou o envolvimento no incidente, referindo que "a Ucrânia não pode assumir a responsabilidade por todos os erros, catástrofes e eventos que ocorrem em território russo".

"Atualmente o Estado ucraniano está a conduzir uma operação defensiva para repelir a agressão militar russa no território da Ucrânia", acrescentou o governo ucraniano, em comunicado.

Embora o ataque não tenha resultado em vítimas, cerca de 50 pessoas tiveram que ser retiradas do local, noticia a agência EFE.

Os serviços de emergência indicaram que o fogo se alastrou para oito tanques, cada um com capacidade de 2.000 metros cúbicos.

Segundo as autoridades locais, os bombeiros localizaram o fogo e este deverá estar extinto nas próximas horas.

A Rússia lançou em 24 de fevereiro uma ofensiva militar na Ucrânia que matou pelo menos 1.276 civis, incluindo 115 crianças, e feriu 1.981, entre os quais 160 crianças, segundo os mais recentes dados da ONU, que alerta para a probabilidade de o número real de vítimas civis ser muito maior.

A guerra provocou a fuga de mais de 10 milhões de pessoas, incluindo mais de 4,1 milhões de refugiados em países vizinhos e cerca de 6,5 milhões de deslocados internos.

A ONU estima que cerca de 13 milhões de pessoas necessitam de assistência humanitária na Ucrânia.

A invasão russa foi condenada pela generalidade da comunidade internacional, que respondeu com o envio de armamento para a Ucrânia e o reforço de sanções económicas e políticas a Moscovo.

ACOMPANHE AQUI TUDO SOBRE A GUERRA NA UCRÂNIA

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de