Mulher do Indiana é primeira sentenciada na invasão ao Capitólio dos EUA

A apoiante do antigo Presidente Donald Trump foi condenada por um delito menor: entrada sem autorização num edifício público.

Uma mulher do estado norte-americano do Indiana foi sentenciada a uma multa de 500 dólares (quase 420 euros) pela invasão ao Capitólio, a 6 de janeiro, tornando-se na primeira condenada na tentativa de insurreição.

Anna Morgan-Lloyd, que tinha descrito anteriormente a invasão como "o dia mais emocionante" da sua vida, mostrou-se arrependida durante a audiência que ditou a sentença, de acordo com vários órgãos de comunicação social norte-americanos.

A apoiante do antigo Presidente Donald Trump foi condenada por um delito menor - entrada sem autorização num edifício público - e vai ficar em liberdade condicional, além de ter de pagar uma multa de 500 dólares.

Morgan-Lloyd, de 49 anos, tornou-se assim na primeira pessoa condenada do grupo de milhares de apoiantes de Trump que invadiram o edifício do Capitólio, a 6 de janeiro, com o intuito de impedir a confirmação no Congresso da vitória do democrata Joe Biden nas eleições presidenciais de novembro de 2020.

O juiz Royce Lamberth, que presidiu à sessão, aproveitou a leitura da sentença para criticar a inação do Partido Republicano em relação às investigações aos distúrbios.

O magistrado referiu-se, em específico, às declarações, em maio, do congressista republicano da Câmara dos Representantes Andrew Clyde, que comparou a tentativa de insurreição a "uma visita turística normal".

Nesse dia, enquanto o Congresso validava a vitória de Biden nas presidenciais, Trump discursou na capital norte-americana, Washington DC, perante milhares de apoiantes, aos quais pediu para "retomarem o país" e "impedirem a injustiça", insistindo na existência de fraude eleitoral, algo rejeitado por todas as instâncias judiciais do país.

Seguiu-se uma marcha em direção ao Capitólio, que culminou com uma invasão ao edifício e vandalização de gabinetes, em particular de congressistas democratas.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de