Musk acusa Twitter de reter informação e ameaça desistir da compra

O presidente executivo do Twitter, Parag Agrawal, diz que as contas falsas representam menos de 5%, mas Musk parece colocar isso em dúvida.

O empresário Elon Musk afirmou num documento divulgado hoje que o Twitter "resiste ativamente" aos seus pedidos de informação sobre falsas contas e ameaça retirar a sua oferta de compra da rede social.

Musk "reserva-se todos os direitos que daí resultam, incluindo o direito de não consumar a transação", segundo uma carta dirigida ao responsável jurídico do Twitter e divulgada no 'site' da autoridade reguladora dos mercados financeiros norte-americanos.

Após ter apresentado em abril uma oferta de aquisição do Twitter por 44 mil milhões de dólares, o multimilionário, fundador e líder da Tesla, já lançou várias dúvidas sobre os dados revelados pelo Twitter sobre 'spams' e contas falsas e sobre as medidas adotadas para limitar a sua proliferação.

Segundo o presidente executivo do Twitter, Parag Agrawal, as contas falsas representam menos de 5%, mas Musk parece colocar isso em dúvida, o que alguns analistas explicam como sendo uma tentativa de baixar o preço final da empresa.

"A última proposta do Twitter de fornecer apenas detalhes suplementares relativos à sua metodologia de testes (...) equivale a recusar os pedidos de dados avançados por Musk", refere a carta, assinada pelo seu advogado, acrescentando que o empresário precisa de mais informação para preparar a transação e finalizar o financiamento da operação.

Este novo episódio no processo de aquisição do Twitter ocorre após ter terminado na sexta-feira o prazo concedido às autoridades norte-americanas da concorrência para lançar um exame aprofundado à operação.

No passado dia 13 de maio, Musk já tinha ameaçado suspender a compra com argumento idêntico ao agora apresentado, mas depois contrariou essa declaração e garantiu que mantinha o compromisso de adquirir a rede social.

Pouco depois da abertura da bolsa de Nova Iorque, as ações do Twitter recuavam 4,13%.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de