Não acontecia desde 1965. Restaurante de Paul Bocuse perde estrela Michelin

O aclamado chef francês morreu em janeiro de 2018 e desde então que se antecipava a perda de uma das estrelas Michelin do restaurante.

O Guia Michelin, bíblia de gastronomia, provocou polémica ao retirar a terceira estrela ao restaurante Paul Bocuse, símbolo da cozinha tradicional francesa. O "papa" da gastronomia francesa, que faleceu há dois anos, detinha três estrelas desde 1965 sem interrupção, um recorde.

A aura do chef foi muito além das fronteiras francesas, graças em particular à criação do Bocuse d'Or, o maior concurso de gastronomia do mundo lançado em 1987 por Paul Bocuse.

"Monsieur Paul", como era carinhosamente conhecido, definia-se como "um seguidor da cozinha tradicional".

Gwendal Poullennec, responsável pelo guia, esteve esta quinta-feira no restaurante, na localidade de Collonges-au-Mont-d'Or, na região de Lyon, para comunicar a decisão, informou a diretora de Comunicação do Michelin, Elisabeth Boucher-Anselin.

"Embora consternados com o julgamento dos inspetores, há uma coisa que nunca queremos perder: é a alma do Monsieur Paul", reagiu em comunicado a família Bocuse e a equipa do restaurante.

Alguns críticos já antecipavam, muito antes da morte do chef Paul Bocuse, em janeiro de 2018, que o restaurante havia deixado de estar à altura das três estrelas.

O restaurante deverá reabrir, após três semanas de fecho, a 24 de janeiro, três dias antes do lançamento oficial do novo guia.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de