Nova investidura falhada na Catalunha e mais dois meses de bloqueio político

A abstenção anunciada dos independentistas do JuntsxCat impede a investidura de Pere Aragonés pela segunda vez consecutiva.

A Catalunha está à beira de um novo bloqueio político. Depois de uma primeira tentativa de investidura falhada, por parte do candidato do Esquerda Republicana (ERC), Pere Aragonés, tudo indica que o cenário se vai repetir esta terça-feira. Os independentistas do JuntsxCat, partido do foragido Carles Puigdemont, anunciaram a intenção de se absterem e, se levarem a decisão avante, Aragonés não terá a maioria necessária no Parlamento.

Na semana passada, Aragonés não conseguiu a maioria absoluta para ser investido na primeira votação, somando apenas 42 votos, dos 68 necessários. Esta terça-feira volta a submeter-se à votação do Parlamento mas a falta de acordo entre os partidos independentistas ameaça levar a um novo fracasso.

"Vamos abster-nos e a investidura vai falhar outra vez, como aconteceu na sexta-feira", disse a vice-presidente do partido, Elsa Artadi. "Não é um não. É um agora não, desta maneira não, ou até que não haja um acordo de legislatura, não. É uma mão estendida para continuarmos a trabalhar que é o que estamos a fazer, o que fizemos durante o fim de semana, mantendo o contacto e as relações com o Esquerda Republicana", explicou.

Na base da decisão, explica o partido, está a falta de acordo entre as formações a nível nacional. O JuntsxCat quer que o apoio ao Governo de Pedro Sánchez passe por uma estratégia comum dos partidos independentistas no Congresso dos Deputados. Algo que não parece ser viável tendo em conta que o JuntsxCat votou contra o último orçamento de Estado e sempre se mostrou muito crítico com o apoio, que considera ser "gratuito" do ERC ao Governo.

Por outra parte, o ERC não parece estar disposto a unir o futuro do Parlamento catalão às decisões a nível nacional e o impasse instalou-se. O partido de Puigdemont força desta forma as negociações que podem prolongar-se durante um prazo máximo de dois meses. Se depois deste tempo Pere Aragonés continuar sem os apoios necessários, a Catalunha poderia mesmo voltar às urnas.

O braço de ferro entre os independentistas abre uma oportunidade para Salvador Illa. O candidato do Partido Socialista da Cataluña (PSC) ganhou as eleições mas foi impedido de se apresentar à investidura por não ter os apoios necessários. Se a falta de acordo entre as forças independentistas persistir, Illa poderia dar um passo em frente e tentar formar Governo com o Esquerda Republicana e o Podemos.

"Se a investidura voltar a fracassar, como tudo parece indicar, pedimos ao ERC que olhe para a esquerda e veja que há uma alternativa. E pedimos ao PSC que seja generoso e aproveite esta oportunidade para abandonar a inércia", disse o porta-voz do Podemos na Cataluña, Joan Mena.

Um acordo do ERC com PSC e Podemos seria suficiente para conseguir uma maioria de 74 deputados no Parlamento catalão, suficientes para a formação de Governo.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de