Nova Zelândia anuncia novas sanções "significativas" contra a Rússia

Os bens russos no país vão ser congelados e a transferência de bens e dinheiro vai ser impedida.

O Governo da Nova Zelândia anunciou esta segunda-feira que serão impostas novas sanções "significativas" contra a Rússia, incluindo a oligarcas e empresas consideradas responsáveis ou associadas à invasão da Ucrânia.

"Nunca foi apresentado um projeto de lei desta natureza ao nosso parlamento, mas com a Rússia a vetar as sanções da ONU, devemos agir nós próprios para apoiar a Ucrânia e os nossos parceiros na oposição a esta invasão", disse a primeira-ministra, Jacinda Ardern, citada pelo jornal New Zealand Herald.

Ardern explicou que as sanções vão congelar bens russos na Nova Zelândia, impedir que pessoas e empresas transfiram dinheiro e bens para o país, e impedir que iates, navios e aviões entrem nas águas ou no espaço aéreo da Nova Zelândia.

A primeira-ministra sublinhou que "o projeto de lei também permite que sejam impostas sanções contra outros Estados cúmplices das ações ilegais da Rússia, tais como a Bielorrússia".

Por outro lado, Ardern encorajou a China a "tomar uma posição sobre o que aconteceu na Ucrânia".

Esta segunda-feira, o seu homólogo australiano, Scott Morrison, instou Pequim a condenar a invasão russa.

A Rússia lançou na madrugada de 24 de fevereiro uma ofensiva militar na Ucrânia que, segundo as autoridades de Kiev, já fez mais de 2.000 mortos entre a população civil.

Os ataques provocaram também a fuga de mais de 1,5 milhões de pessoas para os países vizinhos, de acordo com a ONU.

A invasão russa foi condenada pela generalidade da comunidade internacional que respondeu com o envio de armamento para a Ucrânia e o reforço de sanções económicas a Moscovo.

ACOMPANHE AQUI TUDO SOBRE O CONFLITO ENTRE A RÚSSIA E A UCRÂNIA

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de