O dentista português que leva o sogro ucraniano à guerra

Miguel Stanley, que falou com a TSF, está há três dias a caminho do campo de refugiados de Cracóvia, na Polónia. Na carrinha alugada, no regresso, há de trazer ucranianos. Para lá, leva mantimentos, material médico e o sogro de 68 anos, que vai combater.

"É impressionante, estamos no meio da autoestrada, a uma meia hora de Cracóvia e há imensos carros com bandeiras da Ucrânia, nas bombas de gasolina as pessoas incentivam-se umas às outras", relata cheio de adrenalina na voz Miguel Stanley, enquanto conduz.

Mais conhecido pela participação em programas de televisão, como dentista, Miguel conta que a mulher é ucraniana e o sogro, por acaso, estava em Portugal quando esta guerra começou. "Vamos levá-lo até Cracóvia e depois arranjará maneira de seguir para Lviv, ter com amigos que também vão combater. Não conseguimos convencê-lo a não ir. Mesmo com 68 anos e problemas cardíacos."

Ninguém segura a determinação dos ucranianos, ninguém trava a solidariedade dos portugueses, mas também ninguém sabe ainda como parar os russos. "A avó da minha mulher tem 87 anos, acabou de ligar a dizer que o apartamento dela foi bombardeado. Isto aconteceu há dez minutos, ela vive a 20 km do centro de Kiev, num bairro residencial", conta à TSF.

A carrinha que Miguel alugou para levar o sogro, alimentos e material médico de primeira linha tem réplicas em vários pontos da Europa. "Amigos que estão a fazer o mesmo em Frankfurt também seguem de carrinha e contamos trazer, no regresso, refugiados ucranianos para Portugal."

Miguel segue viagem de peito cheio, mesmo muito cheio: "De orgulho nos ucranianos e nos portugueses."

ACOMPANHE AQUI TUDO SOBRE O CONFLITO ENTRE A RÚSSIA E A UCRÂNIA

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de