O filme da madrugada em que a Rússia invadiu a Ucrânia

Depois de Putin ter anunciado o início de uma operação militar, foram registadas fortes explosões em pelo menos cinco cidades da Ucrânia, incluindo na capital, Kiev, tendo sido seguidas pelas sirenes de ambulâncias.

A Rússia tem em marcha uma operação militar no leste da Ucrânia, na região de Donbass. O exército russo está a atacar instalações miliares ucranianas com armas de alta precisão. As reações a esta ação militar estão a surgir um pouco por todo o mundo.

O Presidente ucraniano pediu ao mundo a criação de uma "coligação anti-Putin" para "obrigar a Rússia à paz". "Estamos a construir uma coligação anti-Putin", disse Volodymyr Zelensky, depois de conversar com os chefes de Estado dos Estados Unidos, Reino Unido e Alemanha. "O mundo deve obrigar a Rússia à paz", acrescentou.

Em Portugal, António Costa vai reunir-se com os ministros da Defesa e dos Negócios Estrangeiros. Um encontro em que também estará presente o Almirante Silva Ribeiro, Chefe de Estado Maior General da Forças Armadas. Numa mensagem publicada na rede social Twitter, António Costa condenou ainda a ação militar russa na Ucrânia.

Marcelo Rebelo de Sousa convocou para as 12h00 desta quinta-feira uma reunião do Conselho Superior de Defesa Nacional.

Os líderes da União Europeia Charles Michel e Ursula von der Leyen advertiram o Kremlin que este será "responsabilizado" pelos seus atos.

No mesmo plano, o secretário-geral da NATO, Jens Stoltenberg, condenou o "ataque imprudente e não provocado" da Rússia à Ucrânia, avisando que está a colocar "inúmeras" vidas em perigo. "Mais uma vez, apesar das nossas repetidas advertências e dos nossos incansáveis esforços de diplomacia, a Rússia escolheu o caminho da agressão contra um país soberano e independente."

O secretário-geral das Nações Unidas disse que o ataque da Rússia à Ucrânia foi "o momento mais triste" dos seus cinco anos de mandato e apelou ao Presidente russo a retirar as suas tropas. António Guterres apelou urgentemente ao Presidente russo: "Em nome da Humanidade, faça regressar as suas tropas à Rússia."

Foram registadas esta quinta-feira fortes explosões em pelo menos cinco cidades da Ucrânia, incluindo na capital, Kiev, horas depois do Presidente russo, Vladimir Putin, ter anunciado o início de uma operação militar, alegando que se destina a proteger civis de etnia russa nas repúblicas separatistas de Donetsk e Lugansk, no leste da Ucrânia.

Por volta das 03h00 horas, foram registadas pelo menos duas explosões no centro de Kiev, tendo sido seguidas pelas sirenes de ambulâncias, segundo jornalistas da AFP.

ACOMPANHE AQUI A ESCALADA DE TENSÃO ENTRE A RÚSSIA E A UCRÂNIA

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de