OMS continua a defender que benefícios da AstraZeneca ultrapassam os riscos

Diretor para os assuntos de regulação e pré-qualificação da OMS garantiu que os peritos estão a analisar, mas até agora o balanço da AstraZeneca é positivo.

A Organização Mundial de Saúde não mudou de opinião e continua a defender que as vantagens da vacina da AstraZeneca ultrapassam os riscos. O diretor para os assuntos de regulação e pré-qualificação da OMS recordou que a Agência Europeia do Medicamento já disse que uma eventual ligação ainda está a ser estudada.

Rogério de Sá Gaspar garantiu que o mesmo se passa na Organização Mundial de Saúde. Os peritos estão a analisar, mas até agora o balanço da AstraZeneca é positivo.

"Não há ligação, para já, entre a vacina e os eventos trombóticos. A avaliação que temos de momento - e isso está a ser considerado pelos especialistas - é que a avaliação entre risco e benefícios da vacina ainda é amplamente positiva", explicou Rogério de Sá Gaspar.

Para quarta-feira está marcada uma reunião com a comissão global de aconselhamento sobre a segurança das vacinas. Um organismo da OMS que vai analisar todos os dados referentes à AstraZeneca.

A EMA esclareceu também esta terça-feira que ainda está a avaliar a possível ligação entre a vacina da AstraZeneca contra a Covid-19 e a formação de tromboembolismos, após um responsável da instituição ter confirmado essa relação.

O comité de segurança da agência, com sede em Amesterdão, "ainda não chegou a uma conclusão e a revisão está atualmente em curso", adiantou a EMA numa declaração à AFP.

Paralelamente, a agência europeia informou que uma decisão sobre esta matéria deve apenas ser anunciada nos próximos dois dias.

O esclarecimento da EMA surge na sequência da entrevista do seu responsável pela estratégia de vacinação, Marco Cavaleri, ao jornal italiano Il Messaggero, na qual confirmou a existência de uma relação entre a vacina desenvolvida pela Universidade de Oxford e o laboratório AstraZeneca e a ocorrência de coágulos de sangue raros em pessoas vacinadas.

LEIA AQUI TUDO SOBRE A PANDEMIA DE COVID-19

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de