ONU fica sem dinheiro já no final do mês? O alerta de Guterres

Apesar do pedido para que os Estados-membros aumentassem as contribuições para o organismo mundial, os países só pagaram 70% da quantia necessária para as operações regulares deste ano.

António Guterres deu o aviso: a ONU pode ficar sem dinheiro já no final deste mês. Numa carta enviada aos seus funcionários, o secretário-geral das Nações Unidas assinalou que serão necessárias medidas adicionais, ou, então, estarão mesmo em causa os ordenados dos trabalhadores.

Na missiva que dirigiu aos 37 mil funcionários da ONU, António Guterres esclarece que vão ser tomadas "medidas adicionais" para garantir que os salários sejam pagos.

O secretário-geral da ONU não especifica, no entanto, que medidas são essas. De acordo com o Diário de Notícias , o português apenas deixa claro que a organização corre o risco de esgotar as reservas até ao final de outubro.

Apesar do pedido para que os Estados-membros aumentassem as contribuições para o organismo mundial, os países só pagaram 70% da quantia necessária para as operações regulares deste ano, o que perfaz 209 milhões de euros.

"Os Estados-membros pagaram apenas 70% do valor total necessário para as nossas operações regulares em 2019. Isso traduziu-se numa escassez de caixa de 230 milhões de dólares [209,2 milhões de euros] no final de setembro", podia ler-se no comunicado.

Para reduzir os custos, serão adiadas conferências, reuniões, e as viagens oficiais serão apenas destinadas às atividades essenciais.

A organização é financiada de duas maneiras: por meio de pagamentos obrigatórios e contribuições voluntárias. Cada um dos 193 membros da organização deve pagar uma percentagem do orçamento operacional regular da ONU e do orçamento de manutenção da paz.

O orçamento operacional da ONU para 2018/2019 é de quase 4,55 mil milhões de euros, com os Estados Unidos a contribuírem com 22%. Este montante não inclui as operações de manutenção da paz.

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de