Orçamento da rainha de Inglaterra vai sofrer corte de 15 milhões de libras devido à pandemia

Até as finanças da casa real britânica foram afetadas pela pandemia de Covid-19.

As finanças da rainha Isabel II estão a sofrer perdas avultadas devido à pandemia de Covid-19, anunciou esta quinta-feira a casa real britânica.

O orçamento que cobre os gastos oficiais da soberana e a manutenção dos palácios reais foi de 82,4 milhões de libras (quase 90 milhões de euros) até março de 2020, mas nos próximos três anos vai sofrer um corte de 15 milhões de libras (mais de 16 milhões de euros).

Por lei, o orçamento da rainha não pode ser alvo de cortes face ao período homólogo, mas o tesoureiro da rainha deixou claro que, num momento em que milhões de pessoas sofrem com reduções salariais ou desemprego, a casa real não vai pedir aos contribuintes para colmatar o deficit.

"Não temos intenção de pedir financiamento adicional e tentaremos gerir o impacto através dos nossos próprios esforços", garantiu Michael Stevens, citado pela AFP.

A casa real britânica já congelou os salários de muitos funcionários, não vai realizar novas contratações nos próximos tempos e "procura ativamente cortar gastos não essenciais", disse à agência de notícias uma fonte ligada à monarquia.

Com o confinamento imposto em março no Reino Unido, o tesouro real perdeu todas as receitas geradas pelas visitas turísticas aos palácios e apesar da suspensão da quarentena muitas instalações continuam fechadas ao público.

LEIA AQUI TUDO SOBRE A PANDEMIA DE COVID-19

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de