Pandemia é teste à "capacidade da União Europeia agir com espírito de solidariedade"

Guy Ryder defende a distribuição direta de dinheiro aos que estão em "desespero" nesta pandemia.

O diretor-geral da Organização Internacional do Trabalho (OIT) admitiu, em declarações à TSF, que este é o momento de a Europa mostrar solidariedade no combate à Covid-19.

Sem querer comentar sobre a necessidade de coronabonds ou falar da polémica entre António Costa e o ministro holandês das Finanças, o líder da OIT lembrou que "esta não é a primeira vez que a União Europeia tem dificuldade em encontrar posições comuns para problemas importantes".

Guy Ryder considera que está a ser testada "a capacidade da União Europeia agir com espírito de solidariedade e apoio mútuo".

Sobre alguns países terem de escolher entre salvar vidas ou a economia, Ryder fala de um "falso dilema", até porque é necessário "integrar as respostas e integrar estes dois elementos",

Para já, o diretor-geral da OIT defende que "precisamos de dar dinheiro, de forma direta, a pessoas que estão em desespero".

"Sim, isto parece um rendimento básico incondicional, mas não é. É uma resposta temporária a uma situação excecional", esclarece Ryder.

Quatro em cada dez trabalhadores no mundo estão em risco de lay-off, perda de emprego ou de rendimento, segundo as contas da Organização Internacional do Trabalho. A crise, conclui a OIT, já afetou 80% da mão-de-obra global.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de