Papa aponta hipocrisia de culpar os pobres pela sua condição

Na celebração do V Dia Mundial dos Pobres, o papa deixou algumas palavras, durante a visita à terra natal de São Francisco de Assis, o santo que fez da pobreza uma missão de vida.

O Dia Mundial do Pobre foi este domingo assinalado com críticas do papa à hipocrisia do mundo. Francisco foi a Assis, a terra do santo que fez da pobreza uma missão de vida, para lembrar que a indiferença e a hipocrisia não são resposta ao problema.

Francisco lamentou o facto de o mundo viver "uma história marcada por tribulações, violência, sofrimento e injustiça" e salientou que os pobres são "os elos mais fracos da cadeia", sendo "feridos, oprimidos e por vezes pisoteados".

Só um papa latino-americano, filho de imigrantes italianos, é que poderia ter inventado este Dia Mundial do Pobre, que, pelo quinto ano, se celebra em toda a Igreja Católica.

Nesta sexta-feira, Francisco quis chamar a atenção do mundo ao deslocar-se ao local em homenagem a Assis, na Úmbria, o patrono do seu próprio nome. Ali, o papa Francisco criticou a hipocrisia da sociedade, que culpabiliza as pessoas pobres pela sua condição.

"É hora de devolver aos pobres a palavra e a dignidade que merecem", disse Francisco, em Assis.

A afirmação polémica do Evangelho - "Pobres sempre os tereis" - não pode justificar o negacionismo da pobreza e da miséria imerecida dos campos, como o histórico bispo do Porto denunciou ou que algumas forças partidárias contra essa condição assestam baterias.

Na sua mensagem para este dia, o papa Francisco avisa que "não podemos" ficar à espera de que os pobres nos batam à porta. Dramaticamente, a pandemia criou mais de mil pobres e sem-abrigo na cidade de Lisboa.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de