Paquistão ordena "bloqueio total" das redes sociais, após protestos violentos

O Ministério do Interior solicitou um "bloqueio total" do Twitter, Facebook, WhatsApp, YouTube e Telegram até as 15h00 (11h00 em Lisboa).

O Governo do Paquistão ordenou o bloqueio temporário das redes sociais e plataformas de mensagens instantâneas esta sexta-feira, na sequência de vários dias de protestos violentos contra a França, avança a AFP.

Numa notificação enviada à Autoridade de Telecomunicações do Paquistão, o Ministério do Interior solicitou um "bloqueio total" do Twitter, Facebook, WhatsApp, YouTube e Telegram até as 15h00 (11h00 em Lisboa).

O sentimento antifrancês tem-se agudizado no Paquistão desde que o presidente Emmanuel Macron decidiu apoiar o direito de uma revista satírica de republicar caricaturas que retratam o profeta Maomé, o que é considerado uma blasfémia por muitos muçulmanos.

A embaixada da França no Paquistão já tinha recomendado esta quinta-feira que os seus cidadãos e as empresas francesas abandonassem temporariamente o país, devido a "graves ameaças aos interesses franceses no Paquistão".

Um partido extremista, Tehreek e Ilabbaik Pakistan (TLP), bloqueou parcialmente no início da semana as duas maiores cidades do país, Lahore (leste) e Karachi (sul), assim como a capital Islamabad (norte), para exigir a expulsão do embaixador da França.

As manifestações foram violentamente reprimidas pela polícia e pelo menos duas pessoas morreram nas operações das forças de segurança.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de