Parlamento alemão pronuncia-se sobre vacinação obrigatória até ao fim do ano

A Alemanha tinha, até agora, afastado a opção radical de impor a vacinação obrigatória, adotada pela vizinha Áustria.

O parlamento alemão vai pronunciar-se até ao final deste ano sobre uma lei que impõe a vacinação contra a covid-19 a toda a população para evitar o aumento das infeções, anunciou hoje o futuro chanceler, Olaf Scholz.

"A minha proposta é que (...) os deputados façam uma proposta ao parlamento" sobre a vacinação obrigatória, declarou numa entrevista à estação televisiva Bild TV o social-democrata que se prepara para assumir a chefia do novo Governo alemão, precisando que esse texto deverá ser apresentado "este ano", para entrar em vigor em fevereiro ou março do próximo ano.

A Alemanha tinha, até agora, afastado a opção radical de impor a vacinação obrigatória, adotada pela vizinha Áustria.

Mas o debate sobre esta questão subiu de tom nas últimas semanas, à medida que o país era duramente atingido por uma nova vaga pandémica.

A obrigatoriedade da vacinação foi recentemente decidida para as pessoas que trabalham em lares de terceira idade e hospitais, bem como para os membros da Bundeswehr (Forças Armadas Unificadas da Alemanha), e entrará em breve em vigor.

Realizou-se hoje uma reunião de emergência entre a chanceler cessante, Angela Merkel, a futura coligação governamental de Olaf Scholz e os líderes das regiões para analisar diferentes medidas destinadas a combater a quarta vaga da pandemia de covid-19, entre as quais a vacinação obrigatória.

Na reunião, o futuro chanceler declarou-se, tal como a sua equipa, a favor dessa decisão.

A covid-19 causou pelo menos 5.206.370 mortes em todo o mundo, de entre mais de 261,49 milhões infeções pelo novo coronavírus registadas desde o início da pandemia, segundo o mais recente balanço da agência noticiosa France-Presse (AFP), com base em dados oficiais.

Em Portugal, morreram desde março de 2020, 18.441 pessoas e foram contabilizados 1.147.249 casos de infeção, de acordo com dados da Direção-Geral da Saúde.

A doença respiratória é causada pelo coronavírus SARS-CoV-2, detetado no final de 2019 em Wuhan, cidade do centro da China, e atualmente com variantes identificadas em vários países.

Uma nova variante, a Ómicron, foi recentemente detetada na África do Sul, tendo sido identificados, até ao momento, 13 casos desta nova estirpe em Portugal.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de