Parlamento britânico aprova emenda que impede a sua suspensão total

Deputados britânicos quiseram precaver-se perante a possibilidade de Boris Johnson recorrer à medida para viabilizar um Brexit sem acordo.

Os deputados do Reino Unido aprovaram, esta quinta-feira, uma emenda com o objetivo de impedir o próximo primeiro-ministro de suspender totalmente o Parlamento. Esta é uma medida a que Boris Johnson - na corrida à sucessão de Theresa May com Jeremy Hunt - não descarta recorrer para evitar que os deputados bloqueiem um Brexit sem acordo.

A eventual suspensão do Parlamento tem sido um dos temas da campanha para a liderança do partido conservador. Jeremy Hunt diz "jamais", mas Boris Johnson diz "talvez". Tal bastou para que, a jogar pelo seguro, os deputados tenham aprovado a emenda que obriga o Parlamento a reunir cinco vezes, caso o futuro primeiro-ministro opte pela suspensão.

A emenda foi aprovada por uma maioria de 41 votos - superior à esperada - e os parlamentares deixaram uma mensagem clara ao senhor que se segue: a de que sua vida não será mais fácil que a de Theresa May.

A decisão foi tomada no mesmo dia em que o Gabinete para a Responsabilidade Orçamental publicou um estudo no qual alerta para os riscos de uma saída da UE sem acordo, o chamado Hard Brexit. O organismo independente diz que a economia entraria em recessão e a dívida pública britânica aumentaria 30 mil milhões de libras, por ano. Aliado a este crescimento da dívida, o gabinete menciona ainda a queda do valor das casas e da libra.

Também esta quinta-feira, o ex-PM trabalhista Gordon Brown alertou para o facto de que Boris Johnson, o favorito das sondagens, poderá vir a ser o último primeiro-ministro do Reino Unido.

O ex-governante terá tido em conta recentes estudos de opinião que revelam que, se Boris chegar ao cargo, os independentistas venceriam um novo referendo na Escócia.

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de

Outros Artigos Recomendados