Parques de Cabul passam a ter dias para homens e dias para mulheres

Os taliban decidiram que os jardins e parques de atrações de Cabul serão só para homens em quatro dias da semana, e só para mulheres nos outros três.

Os parques e jardins de Cabul deixam este domingo de poder ser usufruídos por homens e mulheres em simultâneo, decidiram os taliban, no dia em que associações de mulheres ameaçaram manifestar-se para exigir a reabertura das escolas para as raparigas.

O Ministério para a Propagação da Virtude e a Prevenção do Vício do governo interino dos fundamentalistas islâmicos anunciou este domingo que os jardins e parques de atrações de Cabul serão só para homens em quatro dias da semana, e só para mulheres nos outros três.

"Os dias de visita para as zonas de recreio e os parques estão divididos entre homens e mulheres, e as mulheres deverão usar o véu", disse o Ministério, em comunicado, alertando que as pessoas que violarem a lei serão castigadas.

Esta medida surge após os taliban terem decidido na quarta-feira impedir o esperado regresso à escola das adolescentes, apesar das múltiplas promessas oficiais neste sentido.

A decisão foi anunciada horas após a esperada reabertura das escolas e quando muitas alunas já se encontravam nas salas de aulas.

O Ministério da Educação não apresentou uma justificação clara para a mudança de planos.

Em reação a esta decisão, quatro associações de defesa dos direitos das mulheres no Afeganistão avisaram hoje que irão promover manifestações se os taliban não permitirem a reabertura das escolas às raparigas na próxima semana.

"Apelamos às autoridades para que reabram as escolas para as raparigas do secundário em uma semana", disse a militante Halima Nasari numa conferência de imprensa hoje em Cabul.

"Se o Emirado Islâmico [nome do regime taliban] não o fizer, vamos nós próprias reabrir as escolas e organizaremos manifestações pacíficas no país até obtermos" essa reivindicação, alertou.

Para a ativista, o povo "já não pode aceitar tal opressão".

No sábado, dezenas de alunas, pais e professores manifestaram-se em Cabul gritando "Abram as escolas!", na primeira manifestação na capital em semanas.

Menos de uma hora depois o protesto foi dispersado por taliban armados.

Desde que assumiram o poder há sete meses, os taliban já impuseram numerosas restrições às mulheres, que foram excluídas de muitos empregos públicos, controladas na forma de se vestir e impedidas de viajar sem um guardião masculino.

Detiveram também muitas militantes que se manifestaram pelos direitos das mulheres.

Da primeira vez que estiveram no poder no Afeganistão, entre 1996 e 2001, os fundamentalistas mantiveram uma rígida interpretação do islão, impedindo as meninas de irem à escola e encerrando as mulheres nos seus lares.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de