Partido do Presidente mexicano mantém maioria na Câmara de Deputados, dizem resultados preliminares

As projeções dão a Morena, um partido criado à imagem e semelhança de López Obrador, o equivalente a entre 190 e 203 dos 500 lugares na câmara baixa. Se estes resultados se confirmarem, o Presidente López Obrador continuará a gozar de uma maioria absoluta.

O Movimento de Regeneração Nacional (Morena), partido do Presidente mexicano, Andrés Manuel Lopez Obrador, mantiveram a maioria absoluta na Câmara de Deputados, de acordo com dados preliminares.

Embora fossem eleições legislativas e locais, as eleições de domingo no México foram interpretadas como um plebiscito à figura de Andrés Manuel López Obrador, cujo partido conseguiu manter a maioria na Câmara dos Deputados, embora dependa muito mais dos seus aliados.

Segundo os resultados preliminares do Instituto Nacional Eleitoral, o Movimento de Regeneração Nacional de esquerda (Morena) foi o vencedor das maiores eleições da história do país, nas quais a Câmara dos Deputados, 15 dos 32 governadores, 30 congressos locais e mais de 1900 câmaras municipais foram renovados ao mesmo tempo.

As projeções dão a Morena, um partido criado à imagem e semelhança de López Obrador, o equivalente a entre 190 e 203 dos 500 lugares na câmara baixa.

Embora sejam menos deputados do que os 253 que atualmente detêm, adicionados aos seus aliados, o Partido Trabalhista (PT) e o Partido Verde (PVEM) conseguiriam ultrapassar a barreira da maioria absoluta (251), assegurando entre 255 e 292.

Se estes resultados se confirmarem, o Presidente López Obrador continuará a gozar de uma maioria absoluta na segunda metade do seu mandato para continuar a "quarta transformação" do México que afirma promover.

A outra grande votação do dia disputou-se em quase metade dos governos estaduais do país, onde o partido Morena terá garantido 11 dos 15 que estavam em jogo.

Depois de terem passado pela campanha eleitoral mais violenta da sua história, os mexicanos votaram num clima de quase total normalidade, com exceção de alguns incidentes isolados e da omnipresente pandemia da Covid-19, para a qual o uso de máscaras era obrigatório.

A eleição foi precedida por uma campanha violenta com a presença do crime organizado que resultou em mais de 910 ataques contra políticos, ultrapassando o recorde de 2018. Agora, 91 políticos foram mortos, 36 dos quais eram candidatos.

Apesar de alguns acontecimentos de grande alcance durante este domingo, como o lançamento de duas cabeças humanas nas escolas de Tijuana, a missão de observação declarou que não foram detetados "incidentes de gravidade" que pudessem comprometer as eleições e os resultados.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de