Pelo menos 104 mortos nas inundações na cidade brasileira de Petrópolis

Últimos registos são de 104 mortos e 24 sobreviventes na cidade brasileira.

Pelo menos 104 pessoas morreram nas inundações e deslizamentos de terra na cidade brasileira de Petrópolis, anunciou hoje a Proteção Civil, dois dias após se terem registado naquela localidade turística do Brasil as piores chuvas dos últimos 90 anos.

"Nesta fase registámos 104 mortos e os bombeiros encontraram 24 sobreviventes", disse a Proteção Civil da cidade, que fica a 60 quilómetros a norte do Rio de Janeiro.

O Brasil vive uma época de chuvas particularmente mortífera este ano.

Esta quinta-feira de manhã, nas ruas de Petrópolis muitos residentes falavam sobre os desaparecidos, que de acordo com os números oficiais ascende a 35, segundo um jornalista da agência de notícias francesa AFP.

Os bombeiros trabalharam toda a noite na cidade, de 300.000 habitantes, que foi atingida pelas fortes chuvas, mas tiveram de parar durante algumas horas por causa da instabilidade do solo, que está alagado.

O número de mortos é ainda provisório e tem vindo a aumentar consecutivamente desde as chuvas torrenciais que transformaram as pitorescas ruas do centro da cidade em rios de lama, inundaram casas e arrastaram dezenas de carros.

Petrópolis teve mais chuva em poucas horas, na terça-feira à noite, do que a média para todo o mês de fevereiro, de acordo com a agência meteorológica MetSul.

O governador do estado do Rio de Janeiro, Claudio Castro, disse, numa conferência de imprensa, que foi "a pior chuva desde 1932".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de