Pelo menos 12 mortos em debandada em templo hindu na Índia

Devotos hindus tentavam aceder a um templo sagrado para as celebrações do Ano Novo, quando houve uma altercação.

Pelo menos 12 pessoas morreram e outras 13 ficaram feridas durante a madrugada, na sequência de uma debandada num templo hindu, na região de Jammu e Caxemira, no norte da Índia.

O incidente foi causado por uma altercação entre vários jovens, no meio de uma multidão de devotos hindus que tentavam aceder a um templo sagrado localizado na cidade de Katra para as celebrações do Ano Novo.

Como resultado, "12 pessoas morreram e outras 13 ficaram feridas", disse Dilbagh Singh, inspetor-geral da Polícia de Jammu e Caxemira, em depoimento à agência indiana ANI.

Várias das imagens divulgadas pela imprensa local pouco antes da debandada mostram uma multidão a tentar chegar ao interior do templo, quase sem espaço para se mexerem.

As autoridades locais relataram que uma investigação de "alto nível" foi aberta para esclarecer o que aconteceu.

Depois de tomar conhecimento dos factos, o primeiro-ministro indiano, Narendra Modi, expressou as suas condolências pelas vítimas e prometeu uma indemnização de 200.000 rúpias (cerca de 2.360 euros) aos familiares dos mortos e 50.000 rúpias (quase 600 euros) aos feridos.

"[Estou]Muito triste com a perda de vidas devido a uma debandada no templo Mata Vaishno Devi Bhawan. Condolências às famílias enlutadas. Que os feridos se recuperem logo", escreveu na sua conta oficial no Twitter.

As debandadas são relativamente frequentes na Índia, especialmente durante as celebrações religiosas.

Em setembro de 2017, uma debandada numa passagem numa estação em Bombaim, oeste da Índia, fez pelo menos 22 mortos e cerca de 25 feridos.

Em outubro de 2016, pelo menos 19 pessoas morreram em consequência de uma avalanche humana quando milhares de pessoas correram com medo de uma ponte desabar na cidade sagrada de Benares, no norte do país.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de