Pelo menos três mortos em ataque a edifício governamental de Mykolaiv

Há ainda várias pessoas desaparecidas. Os trabalhos de resgate estão a decorrer.

Pelo menos três pessoas morreram e mais de 20 ficaram feridas, esta terça-feira, num ataque à sede da administração regional de Mykolaiv, cidade perto de Odessa, que havia sido poupada dos bombardeamentos nos últimos dias.

De acordo com a agência AFP, depois de um míssil atingir o edifício, foram retirados dos escombros os corpos de duas vítimas mortais, mas há ainda vários civis e soldados desaparecidos.

"O edifício da administração regional foi atingido", escreveu o governador Vitaly Kim numa mensagem publicada na rede social Facebook, assegurando que a maioria das pessoas que estavam dentro do prédio saiu ilesa do ataque.

"No momento, estamos a procurar", assegurou Kim, sublinhando que "metade do prédio foi destruído" e o seu escritório afetado.

Os jornalistas da agência de notícias France-Press viram estilhaços de vidro perto do escritório regional dos veteranos, numa esquina próxima.

"Eu estava a tomar o pequeno-almoço no meu apartamento", disse à AFP Donald, um canadiano reformado de 69 anos que vive na Ucrânia. "Ouvi um assobio, depois um estrondo e a minha janela partiu-se", afirmou o canadiano. "É assustador. Tivemos sorte aqui em Mykolaiv, não tivemos tantas explosões no centro da cidade" como em outras cidades, acrescentou.

A Rússia lançou em 24 de fevereiro uma ofensiva militar na Ucrânia que causou, entre a população civil, pelo menos 1.035 mortos, incluindo 90 crianças, e 1.650 feridos, dos quais 118 são menores, e provocou a fuga de mais 10 milhões de pessoas, entre as quais 3,70 milhões para os países vizinhos, segundo os mais recentes dados da ONU.

Segundo as Nações Unidas, cerca de 13 milhões de pessoas necessitam de assistência humanitária na Ucrânia.

A invasão russa foi condenada pela generalidade da comunidade internacional, que respondeu com o envio de armamento para a Ucrânia e o reforço de sanções económicas e políticas a Moscovo.

Notícia atualizada às 12h37

ACOMPANHE AQUI TUDO SOBRE O CONFLITO ENTRE A RÚSSIA E A UCRÂNIA

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de