Pessoas de máscara nas ruas de Budapeste? Muito raro

Num país em que cerca de metade da população já foi vacinada, as regras da pandemia estão cada vez mais a cair no esquecimento. A TSF andou pelas ruas da cidade.

A Hungria é dos países mais avançados na vacinação contra a Covid-19 e o cenário nas ruas da capital é bem diferente daquele que se vê, por exemplo, em Portugal. A TSF andou pelas ruas da cidade de Budapeste e conversou com alguns cidadãos húngaros sobre as regras da pandemia, que cada vez são menos notórias na Hungria.

É dos países da Europa com mais vacinas administradas, talvez por isso, é raro passar por alguém na rua que esteja a usar máscara: "acho que as pessoas se sentem mais seguras devido às vacinas.

Nós estamos bastante bem, posso dizer assim, e acho que as pessoas têm esta sensação de segurança nas ruas, por isso, é que não usam máscara de forma tão rigorosa", explica à TSF uma mulher húngara que, sem máscara, atravessa uma das principais praças da capital húngara.

Ainda assim, em praticamente todos os espaços interiores, como por exemplo nos transportes públicos, nos restaurantes e em alguns hotéis, ainda é obrigatório o uso de máscara. Digo em alguns hotéis, porque há uns que não obrigam ao uso de máscara, e os próprios empregados que estão na receção não a usam. Quanto aos restaurantes, só pode entrar para fazer uma refeição no interior quem apresentar à entrada, o certificado de vacinação: "Os húngaros são muito cuidados", sublinha outra cidadã húngara, mas avisa: "ainda há muita gente por aqui para ser vacinada", atira com alguma preocupação.

Mas os húngaros não são muito cuidadosos na noite. A vida noturna em Budapeste é bem diferente de Portugal Os bares estão a funcionar e as discotecas também. E as maiores discotecas têm diferentes pisos, um destinado às pessoas que não estão vacinadas, e outro para as pessoas vacinadas. Aqui, não é preciso usar máscara.

As regras não são muito apertadas, as preocupações com as regras sanitárias são poucas e um francês residente em Budapeste explica que tudo mudou de um dia para o outro: "É hilariante, na verdade! O presidente da Hungria um dia anunciou que era seguro e no dia a seguir toda a gente pensou - 'ele disse que era seguro' - portanto todos deixaram de usar máscara. Mas se pensarmos - se é perigoso hoje, amanhã se todos tirarem ainda vai ser mais", remata este francês, com um sorriso irónico.

Cerca de 40% das pessoas estão vacinadas na Hungria, um país que adquiriu muitas doses da China e da Rússia, não autorizadas pela União Europeia.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de