Petrobras vai receber 1,9 mil milhões de euros por ações em ex-distribuidora

A Petrobras vai começar a entregar as ações na próxima sexta-feira aos investidores institucionais.

A petrolífera estatal brasileira Petrobras vai receber cerca de 11,4 mil milhões de reais (1,9 mil milhões de euros) pelas ações (37,5%) ainda detidas na ex-subsidiária BR Distribuidora.

O preço das ações da maior distribuidora do Brasil colocadas à venda pela Petrobras, no âmbito do plano de desinvestimentos da petrolífera, foi definido na quarta-feira com base na cotação no final da sessão da Bolsa de Valores de São Paulo e nas ofertas feitas pelos interessados nas ações, que ultrapassaram 30 mil milhões de reais (cerca de cinco mil milhões de euros).

Dessa forma, a procura pelos papéis quase triplicou as ações oferecidas.

Com um preço definido de cerca de 26 reais (4,4 euros) por ação, a Petrobras vai receber cerca de 11,4 mil milhões de reais pelos 436,8 milhões em ações ordinárias da distribuidora de combustíveis que colocou à venda.

A Petrobras vai começar a entregar as ações na próxima sexta-feira aos investidores institucionais, processo que deverá ser concluído na segunda-feira, de acordo com o prospeto da oferta pública de ações.

A venda das ações restantes na BR Distribuidora foi autorizada, em agosto passado, pelo Conselho de Administração da Petrobras, empresa controlada pelo Estado, mas com ações negociadas nas bolsas de valores de São Paulo, Nova Iorque e Madrid. A companhia aguardava o momento mais adequado do mercado para anunciar a oferta.

Fundada em 1971, a antiga subsidiária da Petrobras é a maior distribuidora do Brasil, com cerca de 7.700 postos de abastecimento em todos os estados do país, e líder no mercado de distribuição de combustíveis, com uma participação de 27%.

Além da gigantesca rede de postos de abastecimento, a distribuidora conta com 85 bases de armazenamento de combustível, 13 depósitos de lubrificantes e 99 postos de abastecimento em aeroportos.

Após um leilão bem-sucedido em 2019, no qual vendeu 33,75% da participação na BR Distribuidora, que era de 71,25%, por cerca de 9,6 mil milhões de reais (cerca de 1,64 mil milhões de euros, ao câmbio atual) e através do qual diluiu o controlo, a Petrobras ficou com uma participação minoritária de 37,5% da empresa.

O processo de privatização da BR Distribuidora teve início em 2017, quando a Petrobras fez uma oferta inicial de ações da distribuidora e na qual vendeu 30% da participação por cinco mil milhões de reais (850 milhões de euros, ao câmbio atual).

A venda das restantes ações da BR Distribuidora integra o plano de desinvestimentos da Petrobras para reduzir a dívida, melhorar o perfil financeiro e centrar as operações nos ativos mais rentáveis, principalmente na exploração de hidrocarbonetos, de acordo com a petrolífera brasileira.

Este ano, o plano de desinvestimentos da petrolífera estatal brasileira também prevê a venda de oito refinarias da empresa, responsáveis por metade da capacidade de refinação do país.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de