Piratas informáticos usam Twitter do aeroporto de Bogotá para ameaçar presidente colombiano

Depois de uma semana a ser contestado nas ruas, Ivan Dúque foi visado por piratas informáticos que atacaram várias contas de redes sociais.

Piratas informáticos atacaram esta terça-feira as contas da rede social Twitter da Justiça colombiana e do aeroporto internacional El Dorado (Bogotá), publicando mensagens ofensivas e de ameaça contra o Presidente da Colômbia, Iván Duque, no sexto dia de protestos.

Os ataques informáticos aconteceram na terça-feira à tarde quando milhares de manifestantes estavam nas ruas de Bogotá e em outras cidades colombianas a protestar contra o Governo e a exigir justiça pela morte do jovem Dilan Cruz, de 18 anos, a primeira vítima de violência policial nos protestos que começaram na passada quinta-feira.

A primeira mensagem foi publicada na conta da Justiça e dizia: "Do Conselho Superior [de Magistratura] desejamos a morte ao nosso querido e corrupto presidente Iván Duque".

Na mesma conta foram escritas pelo menos cinco mensagens no mesmo tom, com perguntas como: "Importas-te com a tua família, Iván Duque? E os que morreram inocentemente, não te importam?"

Minutos depois, o Supremo Tribunal de Justiça lançava um alerta referindo que não era mensagens oficiais e que a conta tinha sido alvo de um ataque informático.

O Supremo pediu ainda uma "investigação urgente" por parte da Procuradoria-Geral da República e da polícia sobre quem são os responsáveis pelas ameaças ao Presidente colombiano.

"Comunicado"

Mas os ataques não se ficaram por aqui e estenderam-se à conta de Twitter do aeroporto El Dorado, onde se referia que era negada a entrada do chefe de Estado naquela infraestrutura.

"Os nossos agentes proibirão a entrada no nosso aeroporto do Presidente Iván Duque por razões de corrupção", referiam as mensagens difundidas com o título "comunicado".

A morte de Dilan Cruz, ocorrida na segunda-feira à noite, comoveu o país e converteu-o no símbolo da resistência depois de passar três dias no hospital San Ignacio, onde deu entrada com ferimentos graves na cabeça devido a uma bomba atordoadora disparada pela polícia num protesto pacífico no centro de Bogotá.

Desde 21 de novembro que dezenas de milhares de pessoas participam em manifestações diárias convocadas inicialmente pelos sindicatos de trabalhadores, aos quais se foram somando outros setores que não estão de acordo com a forma como Duque tem gerido o país, nomeadamente no plano económico e social.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de