Polícia de Pequim detém pianista Li Yundi por recorrer a prostituição

A Associação de Músicos da China também anunciou a expulsão de Li Yundi da organização, com base no aviso da polícia do distrito de Chaoyang, em Pequim, de que ele foi preso.

Li Yundi, um dos mais conhecidos pianistas da China, foi detido, em Pequim, suspeito de ter recorrido aos serviços de uma prostituta, informou esta sexta-feira a polícia local.

Em comunicado, a polícia da capital chinesa informou que o suspeito foi colocado em prisão administrativa e que foi aberta uma investigação, na quinta-feira, que recairá também sobre uma mulher identificada pelo sobrenome Chen e um homem chamado "Li di".

A primeira parte do nome do pianista foi excluída como é padrão em casos de polícia. Essa mensagem foi seguida por outra, com a imagem de um teclado de piano e as palavras "é preciso ver claramente a diferença entre preto e branco".

A Associação de Músicos da China também anunciou a expulsão de Li Yundi da organização, com base no aviso da polícia do distrito de Chaoyang, em Pequim, de que ele foi preso.

Li Yundi, de 39 anos, começou a tocar piano quando era criança e estudou na China e na Alemanha antes de se tornar o mais jovem vencedor do Concurso Internacional de Piano Chopin, em 2000, aos 18 anos.

Desde então, fez digressões pelo mundo e gravou vários álbuns, o que o tornou um dos artistas chineses mais conhecidos.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de