Polícia francesa obrigada a intervir em festa ilegal de Ano Novo que juntou 2500 pessoas

Autoridades estão preocupadas com a disseminação do coronavírus no país.

A polícia francesa foi, esta sexta-feira, obrigada a intervir numa festa ilegal de fim de ano que juntou cerca de 2500 pessoas noroeste de França. As autoridades reconhecem que não foram capaz de deter os envolvidos e revelam-se agora preocupadas com a disseminação do coronavírus no país.

O evento ocorreu em Lieuron, a sul de Rennes, no departamento da Bretanha e muitos dos intervenientes ainda estavam no local quando foi instalado um cordão sanitário. O governo local informa, em nota, que os agentes tentaram "evitar a comemoração, mas enfrentaram a hostilidade feroz de muitos convidados"e que estes incendiaram um dos carros das autoridades e lhes atiraram pedras e garrafas.

A festa reuniu participantes de toda a França e também do exterior do país numa altura em que os ajuntamentos estão estritamente proibidos para evitar a disseminação da Covid-19 e há um recolher obrigatório das 20h às 6h a vigorar em todo o país, sem exceção para a passagem de ano.

As autoridades judiciais já iniciaram uma investigação à organização ilegal do encontro e à violência contra as autoridades.

Segundo relatos, a festa aconteceu num armazém vazio que pertence a uma empresa de armazenamento. Ao longo desta sexta-feira a música não parou de tocar e continuam no local vários veículos e participantes.

Também na cidade de Marselha, no Sul, as forças de segurança interromperam uma celebração ilegal que reunia cerca de 300 pessoas, revelou a polícia. Mais de 150 pessoas foram advertidas e os três supostos organizadores foram detidos.

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de