Pompeo em Londres pede ao Reino Unido que retire Huawei de concursos para 5G

Os Estados Unidos têm alertado os aliados para os riscos de permitir que a empresa tecnológica entre nas redes de telecomunicações 5G.

O secretário de Estado norte-americano, Mike Pompeo, pediu esta quarta-feira ao Reino Unido, onde chegou para uma visita de dois dias, que reconsidere a decisão de permitir que a empresa chinesa Huawei participe do desenvolvimento da rede 5G no país.

Os Estados Unidos têm alertado os aliados para os riscos de permitir que a empresa tecnológica Huawei entre nas redes de telecomunicações 5G, invocando a sua dependência face ao Governo de Pequim e a vulnerabilidade destas redes a intrusões informáticas.

À sua chegada a Londres, esta quarta-feira, Mike Pompeo enfatizou que a Huawei representa um "risco real" para a segurança nacional dos países que contratam os serviços de telecomunicações desta empresa chinesa.

O chefe da diplomacia dos EUA disse que a Huawei é "uma extensão do Partido Comunista chinês", o que coloca riscos acrescidos a quem deixar circuitos de fluxo informativo à sua mercê.

"As informações dos Estados Unidos devem passar apenas por redes de confiança e garantiremos que seja esse o caso", disse Mike Pompeo, que sugeriu que Londres "reavaliasse" sua decisão de incluir a Huawei nos concursos para a operação de redes 5G.

Na terça-feira, o Governo britânico anunciou que a Huawei terá uma participação "limitada" no desenvolvimento do 5G no Reino Unido e vetará sua intervenção em áreas "sensíveis" dessa tecnologia. O primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, que na quinta-feira recebe Pompeo, disse esta quarta-feira, numa entrada na sua conta pessoal da rede social Facebook, que esta decisão não afetará o relacionamento entre Londres e Washington, apesar dos alertas das autoridades norte-americanas.

"Podemos dar à Huawei acesso a certos aspetos do 5G sem comprometer a nossa capacidade de compartilhar informações de inteligência com os Estados Unidos" e com outros aliados, disse o chefe do governo britânico.

O Governo britânico está a negociar com os Estados Unidos acordos comerciais para a fase pós-Brexit, pelo que a questão diplomática da segurança nas redes de telecomunicações ganha acrescida relevância. Em 2019, os Estados Unidos ameaçaram mesmo deixar de partilhar informações dos seus serviços de inteligência com os aliados que permitam a inclusão da Huawei na operação de redes 5G.

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de