Porto de Mariupol sob bloqueio e ataque russo há cinco dias

"A nossa prioridade é conseguir um cessar-fogo para que possamos restabelecer as infraestruturas vitais", explica o presidente da câmara da cidade.

O porto estratégico de Mariupol, no leste da Ucrânia, está "sob bloqueio" e "ataques impiedosos" do exército russo, disse este sábado o presidente da câmara, no décimo dia da invasão russa.

Marioupol, cidade com cerca de 450 mil habitantes junto ao mar de Azov, está "sob bloqueio" e é, há cinco dias, alvo de "ataques impiedosos", escreveu Vadim Boitchenko na plataforma Telegram.

"A nossa prioridade é conseguir um cessar-fogo para que possamos restabelecer as infraestruturas vitais e criar um corredor humanitário para fazer chegar alimentos e medicamentos à cidade", acrescentou.

O controlo de Mariupol é estratégico para a Rússia, uma vez que permitiria garantir uma continuidade territorial entre as forças vindas da Crimeia e as que chegam dos territórios separatistas pró-russos da região de Donbass.

As forças russas ocupam desde sexta-feira a central nuclear de Zaporizhzhia, no sudeste da Ucrânia, onde bombardeamentos de artilharia, de acordo com o lado ucraniano, causaram um incêndio, sobre o qual Moscovo negou ter responsabilidade.

Este ataque contra a maior central nuclear da Europa, com seis reatores, chocou a comunidade internacional por constituir, nas palavras proferidas na sexta-feira pela embaixadora dos Estados Unidos no Conselho de Segurança da ONU, Linda Thomas-Greenfield, "uma imensa ameaça para toda a Europa e para o mundo".

A Rússia lançou, na madrugada de 24 de fevereiro, uma ofensiva militar à Ucrânia e as autoridades de Kiev contabilizaram, até ao momento, mais de 2.000 civis mortos, incluindo crianças. Segundo a ONU, os ataques já provocaram mais de 1,2 milhões de refugiados.

A invasão russa foi condenada pela generalidade da comunidade internacional que respondeu com o envio de armamento para a Ucrânia e o reforço de sanções económicas para isolar ainda mais Moscovo.

ACOMPANHE AQUI TUDO SOBRE O CONFLITO ENTRE A RÚSSIA E A UCRÂNIA

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de