Portugal espera firmeza da UE com "jogo político" da Turquia

O ministro dos Negócios Estrangeiros defendeu que os Estados-membros devem trabalhar em conjunto para "evitar qualquer crise humanitária".

O chefe da diplomacia portuguesa, que falou esta quinta-feira na capital croata, em Zagreb, espera uma posição firme da União Europeia (UE) relativamente ao "jogo político" que a Turquia está a fazer ao usar migrantes "como peões", após ameaçar abrir as fronteiras.

"A posição portuguesa é sempre a mesma: precisamos de firmeza quando a firmeza é necessária e, neste momento, é indispensável dizer à Turquia que os migrantes e os refugiados não podem ser usados como peões no jogo político", disse à agência Lusa o ministro dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva.

Antes de uma reunião dos chefes da diplomacia europeia, o governante pediu "diálogo [para] compreender a situação em que a Turquia se encontra, as suas responsabilidades enormes no acolhimento e na integração de milhões de refugiados que estão hoje na Turquia".

Questionado sobre uma eventual nova crise migratória na UE, dadas as ameaças de Ancara relativamente à abertura de fronteiras para passagem de migrantes e refugiados, Augusto Santos Silva defendeu que os Estados-membros devem trabalhar para "evitar qualquer crise humanitária". "É falando com todos que resolvemos os problemas", acrescentou o chefe da diplomacia portuguesa.

Esta questão vai estar em foco na reunião informal esta quinta-feira, que se realiza no Luznica Castle, um castelo localizado a cerca de 20 quilómetros de Zabreg. Estará, ainda, em destaque no Conselho dos Negócios Estrangeiros de sexta-feira, que se realiza na Biblioteca Nacional e Universitária de Zagreb, e para o qual se esperam decisões.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de