Portugal expulsa funcionários da embaixada russa, "matar por prazer" e outros destaques TSF

Voodymyr Zelensky participou na reunião do Conselho de Segurança das Nações Unidas e fez acusações à Rússia e críticas à ONU.

O Governo português expulsou esta terça-feira dez funcionários da embaixada da Rússia, por praticarem atividades "contrárias à segurança nacional". Os funcionários expulsos têm "duas semanas para abandonar o território nacional".

Volodymyr Zelensky esteve no Conselho de Segurança da ONU denunciou o que viu em Bucha, nos arredores de Kiev, e disse que os russos "mataram por prazer". O Presidente ucraniano ainda criticou as organizações internacionais, nomeadamente a própria ONU.

Já o embaixador russo nas Nações Unidas contrapôs e acusou os radicais ucranianos, "na melhor tradição de Goebbels", de terem sido os autores do massacre em Bucha.

Na Ucrânia, o enviado especial da TSF a Mikolaev falou com Oleksandr Syenkevych, autarca da cidade. Leia a entrevista onde o presidente da câmara local diz que a guerra só termina com a morte de Putin.

Na mesma cidade, o fotojornalista da TSF e da Global Imagens, André Luís Alves, foi perceber o sentimento dos ucranianos residentes na cidade portuária do sul da Ucrânia.

O ator, encenador e cofundador da Seiva Trupe, António Reis, morreu esta terça-feira aos 77 anos. "Ao seu nome ficam ligadas memórias e as raízes do teatro no Porto", sublinhou a Companhia Seiva Trupe.

Ainda com as denúncias de assédio na Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa, a diretora da instituição rejeita a ideia que se viva num clima de medo. Contudo, em declarações à TSF, Paula Vaz Freire diz que há "tolerância zero" para estes casos.

Paulo Mota Pinto decidiu apenas reconduzir Catarina Rocha Ferreira e Ricardo Baptista Leite como vices da bancada parlamentar do PSD. De acordo com a lista a que a TSF teve acesso, as novidades são André Coelho Lima, Fátima Ramos, Hugo Carvalho, Paula Cardoso e Paulo Rios.

Após uma tendência de crescimento da mobilidade em Portugal no início do ano, desde o início da guerra na Ucrânia que os portugueses se deslocam menos. À TSF, Paulo Caldeira, especialista em mobilidade da empresa PSE, explicou as oscilações.

Depois do ciberataque da semana passada, a Sonae informou esta terça-feira que "não há evidência" de que os dados pessoais dos clientes tenham sido afetados.

A presidente da Comissão Europeu, Ursula von der Leyen, admitiu um novo agravamento das sanções à Rússia e que essas venham a afetar "as importações de petróleo".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de