Portuguesa na Grécia tem "vida em parêntesis". Pior vaga de calor em décadas num país em chamas

Prossegue, em Atenas, uma prolongada onda de calor, que transformou florestas em barris de pólvora e ameaçou povoações e locais históricos. A portuguesa Ana Maria Soares revela à TSF a preocupação e o cansaço que já fustiga a população.

O fogo ainda arde, e sente-se. A mitologia antiga narraria uma paisagem a que o deus Hefesto não deu tréguas. Na língua de Camões, a portuguesa Ana Maria Soares, que vive em Atenas, descreve um cansaço que se adensa, entre os bombeiros e os habitantes.

A temperatura na Grécia já atingiu os 45º C, e contam-se pelo menos 20 feridos. Há centenas de casas destruídas nos vários incêndios que assolam a Grécia. Nas últimas horas, a guarda costeira montou uma operação para retirar centenas de pessoas por mar, com recurso a barcos-patrulha.

A situação mantém-se crítica, e as autoridades não têm mãos a medir. "Não sabemos como vai ser, há incêndios espalhados por todo o país", admite a portuguesa, lembrando que há fogos a que os bombeiros têm dificuldade em aceder. "Só através dos aviões, que também não estão a conseguir esta vaga de incêndios."

Ana Maria Soares também conta como foi "dramática a situação durante a noite, com uma operação para retirar pessoas na praia", e numa altura em que mais de dois mil refugiados estão a ser retirados de um campo, Malakasa, a 40 km da capital grega.

Com a exaustão a abater-se, a portuguesa diz ainda não ter saído de casa, e até a necessidade de ar condicionado já está a ter efeito. "Não se pode respirar fora. Estamos muito cansados e muito cansados de estar em casa." Por isso, o plano agora passa por abandonar a cidade, e talvez mais tarde gozar férias no litoral. "Vamos sair de Atenas, possivelmente vamos para as montanhas. Estamos todos à espera do que vai acontecer."

A Grécia enfrenta a pior onda de calor em décadas, e as previsões apontam para altas temperaturas até ao final da semana. Vários países europeus já enviaram ajuda para a Grécia, incluindo Portugal.

Na vizinha Turquia, os incêndios florestais, descritos como os piores em décadas, também atingiram a costa Sul nos últimos dez dias, e já mataram oito pessoas.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de