Presidência portuguesa apela à conclusão dos planos de recuperação na UE

Bruxelas afirma que para alguns Estados-Membros "parece ser mais difícil", finalizar os planos de recuperação.

O ministro das Finanças, João Leão apelou hoje aos Estados-membros da União Europeia para enviarem os respetivos planos de recuperação e resiliência, até ao final do mês.

"A duas semanas do prazo oficial de entrega dos planos de recuperação, a presidência portuguesa desafia os Estados-membros a finalizarem os seus planos, para que possam ser rapidamente implementados", defendeu o ministro português, acreditando que tratará de "um poderoso instrumento para a recuperação da economia europeia já a partir da segunda metade deste ano".

No final da reunião do Ecofin, o ministro das finanças disse que a presidência portuguesa da União Europeia "tem como ambição ter alguns planos aprovados ainda antes do verão", acreditando que se tratará também de "um sinal forte para a recuperação económica e social da Europa".

Bruxelas diz que o final o processo está em discussão com Estados-Membros. O vice presidente da Comissão Europeia, Valdis Dombrovskis diz-se confiante, mas admite que nem todos os governos estão a avançar ao mesmo ritmo.

"A progressão varia muito. Alguns Estados-Membros já estão quase lá. E, o envio dos planos até ao final de abril é alcançável. Para outros, parece ser mais difícil. A finalização deve requerer mais umas duas semanas. E, nós estamos a trabalhar com os Estados-Membros para fechar as restantes divergências", disse Dombrovskis, acreditando que o objetivo será alcançado.

"As próximas semanas serão exigentes e intensas, mas estou confiante que alcançaremos um resultado positivo". afirmou o vice-presidente da Comissão Europeia.

Ambos apelaram à ratificação do regulamentos dos novos recursos próprios do quadro financeiro plurianual, que ainda não está concluída em 10 estados membros.

"É igualmente urgente a ratificação da decisão de recursos próprios de todos os Estados-membros", defendeu João Leão, alertando que "a Comissão Europeia só poderá emitir dívida para financiar este programa de recuperação quando este processo estiver concluído por todos".

O governo português prevê enviar o seu plano de recuperação a Bruxelas já na próxima segunda-feira, depois de o ter entregado esta sexta-feira ao Presidente da República. Com Espanha, França, e Grécia, Portugal está no grupo de países que tem os seus planos mais adiantados.

Os outros governos deverão entregar os respetivos planos de recuperação mais próximo do fim do prazo indicativo de 30 de abril.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de