Presidenciais francesas: eleitores nunca estiveram tão indecisos

A 86 dias das presidenciais francesas, a paisagem política nunca esteve tão fragmentada, e os franceses nunca estiveram tão indecisos como hoje. 30% dos eleitores admitem ter mudado de ideias nas últimas duas semanas.

Com 15 candidatos para uma única cadeira no Eliseu, os eleitores nunca estiveram tão indecisos. Conseguem posicionar-se no xadrez político, mas escolher o candidato é mais difícil.

Para tentar perceber o que se passa fomos ouvir franceses indeciso: 47% declaram ainda não terem feito uma escolha definitiva. Em Bordéus, na faculdade de Direito, encontrámos estudantes de esquerda, mas a escolha ainda "não é certa".

Juliette Oblin, estudante de mestrado em direito, diz não ter um candidato que consiga "apoiar a 100%". "Hoje sentimos que os candidatos moderados são minoritários", afirma Luca Villemonteix, também ele estudante de direito.

Jovens indecisos como nos eleitores de direita, um em cada dois não garante votar na candidata dos republicanos, Valerie Pécresse, na primeira volta, aponta uma sondagem da Ipsos.

Noutro bairro, onde François Fillon e Emmanuel Macron somaram 60% dos votos em 2017, um casal de reformados garante que não vai votar para o chefe de Estado francês. É mais fácil escolher fruta no mercado do que um candidato? "Sim! Aqui trabalhamos pouco a pouco e não pensamos tanto em ideais", responde. Ideais mais difíceis de diferenciar entre os candidatos de direita: "Estamos à espera de mais detalhes quanto aos problemas económicos do país, tanto de Pécresse, como de Zemmour ou Le Pen."

À esquerda, 67% dos eleitores potenciais do ecologista Yannick Jadot não estão certos da escolha e são mais de sete em cada dez a ter dúvidas quanto à candidata socialista, Anne Hidalgo.

"Há muitos que não ouvimos muito e nem sabia que já eram candidatos. Pensei que Arnaud Montebourg tinha saído de cena, mas não", confessa Máxime Bouquet.

Christiane Taubira ainda não é candidata e parece uma aposta interessante para este eleitor de esquerda. Nas últimas eleições, Máxime votou n"Os verdes. Agora este partido "não tem tanta credibilidade", explica.

Segundo as últimas sondagens, 35% dos eleitores próximos do partido continuam indecisos. Incertezas que podem conduzir à abstenção, cerca de 40% dos franceses não sabem se vão votar na primeira volta das presidenciais de 10 de abril. Há cinco anos, cerca de 20% dos franceses recusaram ir às urnas nas eleições presidenciais francesas.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de