Presidente da Geórgia vê "possibilidades reais" de adesão à União Europeia

Salomé Zurabishvili considerou que "a luta da Ucrânia já foi um sucesso, abriu os olhos, despertou mundo inteiro".

A Presidente da Geórgia, Salomé Zurabishvili, considerou esta segunda-feira que existe uma "possibilidade real" do país se tornar membro da União Europeia (UE), durante o seu discurso anual no parlamento georgiano.

"Há uma nova e real possibilidade de ingressar na UE", afirmou.

Salomé Zurabishvili disse que os parceiros internacionais estão a mostrar uma "real vontade" de considerar o pedido de adesão da Geórgia, que foi apresentado pelo primeiro-ministro, Irakli Garibashvili, em 03 de março.

A chefe de Estado realçou ainda que "ninguém e nada fará com a Geórgia se desvie da sua opção histórica, que é o caminho para a Europa".

A Presidente georgiana sugeriu que o Governo "crie urgentemente o cargo de secretário de Estado da Integração com a União Europeia para coordenar os esforços" e não descartou que esse cargo possa ser ocupado por um representante da oposição.

O discurso de Salomé Zurabishvili iniciou-se após tocar o hino nacional da Ucrânia no hemiciclo. Deputados, membros do Governo e convidados dos países com representação diplomática na Geórgia realizaram um minuto de silêncio em memória das vítimas ucranianas da agressão russa.

"A luta da Ucrânia já foi um sucesso, abriu os olhos, despertou mundo inteiro", disse a chefe de Estado, que usava distintivos georgianos e ucranianos no seu casaco.

Salomé Zurabishvili salientou que "o mérito da Ucrânia é que a União Europeia mostra unanimidade sem precedentes, [Estados Unidos da] América e Europa agem em solidariedade, enquanto a Rússia está isolada e vai ficar mais fraca amanhã".

A Presidente georgiana pediu ainda ao "colega e amigo" ucraniano Volodymyr Zelenskiy para devolver o embaixador da Ucrânia na Geórgia, que saiu no final de fevereiro depois de Tiblíssi se ter recusado a aderir às sanções económicas contra Moscovo.

"Qualquer contradição entre a Geórgia e a Ucrânia beneficia a Rússia", anotou.

Antes de terminar o seu discurso com "Glória à Ucrânia! Glória aos Heróis! Viva a Geórgia", Salomé Zurabishvili referiu que está do "lado da Ucrânia", disponibilizando "total apoio e solidariedade" àquele país e aos ucranianos.

"Entendemos melhor do que ninguém o que significa lutar contra o secular imperialismo russo", sustentou.

ACOMPANHE AQUI TUDO SOBRE A GUERRA NA UCRÂNIA

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de