Presidente das Filipinas mandar deter quem não usar máscara de forma adequada

Esta decisão foi efetivada durante uma reunião com os seus consultores, de acordo com um vídeo transmitido pelos seus serviços na noite de quarta-feira e no qual todos estão a usar máscara, exceto Duterte.

O Presidente filipino, Rodrigo Duterte, ordenou que a polícia detenha as pessoas que não estiverem a usar a máscara adequadamente, num momento em que o país luta para conter um aumento de casos de Covid-19.

O chefe de Estado lançou esta nova diretriz após uma reunião do seu grupo de trabalho sobre a Covid-19, de acordo com um vídeo transmitido pelos seus serviços na noite de quarta-feira e no qual todos estão a usar máscara, exceto Duterte.

Milhares de pessoas foram punidas por não cumprir as regras decretadas para combater a Covid-19 desde que as restrições foram reforçadas na capital e províncias vizinhas, no final de março, devido a um aumento nos casos do coronavírus Sars-CoV-2.

O Ministro da Justiça e o responsável pela polícia instaram os agentes da polícia a impor multas ou serviços comunitários aos infratores, ao invés de detê-los, após a morte de um homem que, por violar o recolher obrigatório, foi forçado a executar 100 flexões.

Mas Duterte defendeu que a polícia deve ser dura com as pessoas que usam máscaras incorretamente, incluindo aqueles que as têm debaixo do nariz.

"As minhas ordens para a polícia são de deter as pessoas que não estão a usar as máscaras adequadamente e investigar por que estão a fazer isso", disse o Presidente.

"Não é por mim, não é por nós. É do interesse do país que nenhuma pessoa infete outra ou seja infetado", argumentou.

No ano passado, o chefe de Estado, que é conhecido pelas suas declarações polémicas, às vezes insultuosas, afirmou que as forças de segurança deveriam abrir fogo contra quem criar "desordem" em áreas sob confinamento, o que lhe rendeu duras críticas de organizações de direitos humanos.

O porta-voz presidencial, Harry Roque, confirmou que a polícia recebeu ordem para deter pessoas, dizendo que a custódia policial de 12 horas era possível.

A associação de direitos humanos Karapatan denunciou a diretiva "não científica e ineficaz", bem como um "uso desproporcional de força".

"A sobrelotação dos centros de detenção em condições desumanas já representa um risco para a saúde dos detidos, e deter centenas de outros e colocá-los em instalações onde o distanciamento físico é impossível apenas facilitará a rápida disseminação de doenças contagiosas como a Covid-19", disse a associação, em comunicado.

As Filipinas contabilizam mais de um milhão de casos positivos do novo coronavírus.

A pandemia de Covid-19 provocou, pelo menos, 3.244.598 mortos no mundo, resultantes de mais de 155,1 milhões de casos de infeção, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

A doença é transmitida por um coronavírus detetado no final de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

LEIA TUDO SOBRE A PANDEMIA DE COVID-19

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de