Presidente do Irão pede a Biden que "compense os erros" de Trump

Joe Biden, vice-presidente de Barack Obama a quando o acordo nuclear com o Irão em 2015, advoga regressar à diplomacia com Teerão, se o regime iraniano se comprometer a não adquirir armas atómicas.

O presidente do Irão, Hassan Rouhani, pediu este domingo ao próximo Governo norte-americano de Joe Biden que "compense os erros" cometidos durante a administração de Donald Trump, que impôs duras sanções ao país.

Citado pela agência Efe, Hassan Rouhani disse que chegou o momento de Washington, "respeitando as normas globais, volte à senda do cumprimento das obrigações internacionais", de acordo com a página oficial da presidência iraniana.

O responsável iraniano aludiu assim à decisão de Trump de retirar, de forma unilateral, em maio de 2018, os Estados Unidos do acordo nuclear assinado entre o Irão e seis grandes potências.

"A nação do Irão, através da sua heroica resistência à guerra económica imposta, demonstrou que a política de máxima pressão dos Estados Unidos está condenada ao fracasso", asseverou Rohani.

O presidente iraniano também insistiu que na república islâmica, sempre que as outras partes cumpram com os seus compromissos, "aderiu às suas obrigações e considera a interação construtiva com o mundo como a sua estratégia".

Joe Biden, que foi vice-presidente de Barack Obama quando o acordo nuclear com o Irão foi assinado em 2015, advoga regressar à diplomacia com Teerão, se o regime iraniano se comprometer a não adquirir armas atómicas.

O Irão deixou de cumprir a maioria dos seus compromissos do acordo em resposta às sanções dos Estados Unidos, mas assegura que todos os passos dados são reversíveis e urge a Washington o regresso ao pacto e o levantamento de sanções.

"A política equivocada do Governo dos Estados Unidos durante os últimos anos não só foi condenada por pessoas de todo o mundo, mas também enfrentou a população nas recentes eleições", concluiu Rohani.

Também o secretário do Conselho Supremo de Segurança Nacional do Irão, Ali Shamjani, destacou a recusa popular da reeleição de Trump e urgiu que se recordem os seus erros como lição para a posteridade.

"A maioria dos norte-americanos recusou o historial cheio de falhas de uma ideologia que via o assédio e a coação como uma solução para os problemas", escreveu na rede social Twitter.

As sanções dos Estados Unidos afundaram a economia iraniana nos últimos dois anos, durante os quais ambos os países estiveram várias vezes à beira do confronto armado direto.

Apesar do triunfo de Biden dar esperança de uma melhoria da situação no Irão, as autoridades locais insistiram que lhes é indiferente e o líder supremo iraniano, Ali Khamenei, adiantou que ganhasse quem ganhasse a política do Irão relativamente aos Estados Unidos não iria mudar.

Anunciado sábado como vencedor das eleições presidenciais de 03 de novembro, segundo projeções dos 'media' norte-americanos, Biden totalizou 290 "grandes eleitores" do Colégio Eleitoral, derrotando o candidato republicano e atual Presidente Donald Trump.

A posse de Biden como 46.º Presidente dos Estados Unidos está marcada para 20 de janeiro de 2021.

LEIA AQUI TUDO SOBRE AS ELEIÇÕES NOS EUA

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de