Primeiro-ministro eslovaco disposto a demitir-se para resolver crise governamental

Gestão da pandemia e compra da vacina russa Sputnik V fizeram disparar as críticas ao governo.

O primeiro-ministro da Eslováquia, Igor Matovic, admitiu este domingo estar disposto a demitir-se para salvar o governo de coligação liderado pelo seu partido, depois das muitas críticas à gestão da pandemia de coronavírus.

Os restantes membros da coligação de quatro partidos de centro-direita ameaçaram abandonar o governo se o centrista Matovic não se demitisse até à próxima quarta-feira e o presidente Zuzana Caputova exigiu ao primeiro-ministro que encontrasse uma solução.

"Estou disposto a demitir-me do cargo de primeiro-ministro deste governo e a permanecer como um dos seus membros", disse Matovic aos jornalistas. No entanto, apresentou como condição para a sua demissão que os outros líderes partidários da coligação também renunciem aos cargos ministeriais que ocupam.

"Para acalmar a situação, consideramos absolutamente necessária a saída do ministro Richard Sulik do governo", disse Matovic, apontando ao ministro da Economia e líder liberal do partido SaS.

Sulik ameaçou abandonar a coligação caso Matovic recusasse demitir-se e acrescentou que não o aceitaria como ministro no governo.

"Não vamos concordar com tais propostas, cujo motivo principal é obviamente a sua vingança pessoal (de Matovic)", disse Sulik.

Nenhum dos partidos quer provocar eleições antecipadas, uma vez que as sondagens mostram que os partidos de esquerda, na oposição, estão no caminho certo para as vencer.

A crise política surge num momento em que a Eslováquia, um país da zona euro com 5,4 milhões de habitantes, luta contra uma das mais altas taxas per capita do mundo de mortes e infeções por Covid-19, de acordo com uma estatística da AFP baseada em dados oficiais.

Os números das mortes e a decisão de Matovic de comprar a vacina russa Sputnik V desencadeou um tumulto entre os parceiros da coligação que governam com o seu partido, o OLaNO. As sondagens publicadas este domingo sugerem que mais de 80% dos eslovacos consideram que Matovic dever demitir-se.

Eduard Heger, também do OLaNO e atual ministro das finanças, é apontado como possível substituto de Matovic mas não revelou se está disposto a assumir o cargo de primeiro-ministro.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de